FABRICAÇÃO ECOLÓGICA DE TIJOLOS

 
 

Apresentação

A preocupação com o meio ambiente atingiu também o setor da construção civil. Tijolos fabricados sem passarem pelo forno - e, portanto, gerarem fumaça - vêm roubando a cena na construção de casas. Para entrar no ramo, o investimento inicial para duas máquinas e cimento gira em torno de R$ 11 mil. O empresário terá ainda que locar ou comprar área de 250 metros quadrados.

Processo de fabricação

Os tijolos são fabricados de forma manual e a matéria-prima básica é o barro e cimento. "Não precisam ser queimados em forno, logo não proporcionam agressão ao ecossistema e, por isso, são conhecidos como ecológicos", explica Carlos Prata, representante da Sahara, fabricante de máquinas para tijolos e solo-cimento.

Segundo o empresário, a aquisição da máquina que molda e prensa o tijolo fica em torno de R$ 4.440 a R$ 8 mil, e o misturador, responsável pela homogeneização da massa, entre R$ 3 mil e R$ 3.700. É preciso estar atento ao percentual de areia e argila do solo. O ideal é que ele seja 70% arenoso e 30% argiloso, dizem os fabricantes. Tendo essas características, o solo é misturado com cimento, na proporção de sete para um, e recebe 5% de água.

- Após a mistura, a massa é colocada na máquina prensadora e o resultado é um tijolo maciço ou com dois furos internos - diz Prata. Entretanto, é preciso que o novo empresário respeite as normas técnicas exigidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que determina o mínimo de resistência de 17 quilos por centímetro quadrado do tijolo.

Como a máquina que prensa os tijolos é manual, é necessário uma equipe de duas ou três pessoas para operá-la. Há 18 anos trabalhando com fabricação de tijolos ecológicos em Nova Friburgo, José Luiz Manhães, proprietário da Tijolos Beninho Ltda, ressalta a dificuldade para produzir esse tipo de tijolo nas capitais.

- O principal problema é ficar longe da matéria-prima, o que gera custos elevados com frete - explica Manhães, que tem acompanhamento técnico do professor Francisco José Casanova, da Coppe/UFRJ. O empresário destaca ainda a importância do processo de cura dos tijolos para a determinação de sua resistência. "É fundamental manter os tijolos úmidos durante sete dias e deixá-los secar. Só assim atingem o grau de resistência", explica.

O milheiro do tijolo ecológico custa entre R$ 340 a R$ 550. Para construir uma casa de 180 metros quadrados são necessários 20 mil tijolos, o que representaria um faturamento entre R$ 6.800 e R$ 11 mil para o fabricante, com margem de lucro que varia entre 20% e 25%.

Desde 2000 no mercado, Sérgio Araújo, proprietário da Sara Tijolos Ecológicos, em São Paulo, diz que a produção é voltada para o consumidor final. "Vendemos para o dono da obra. Por isso é preciso estar atento a demanda para saber controlar bem a produção", aconselha. Segundo Araújo, cada máquina tem capacidade para produzir cerca de 1.800 tijolos por dia.

Quando começou, o empresário tinha apenas quatro máquinas. Em quatro anos, a Sara Tijolos triplicou esse número. "Apesar do crescimento, os tijolos ecológicos poderiam ser mais divulgados, principalmente por arquitetos e construtores", comenta, destacando a necessidade de cuidado com a manutenção das máquinas.

Cada equipamento, segundo Araújo, tem vida útil suficiente para produzir cerca de 250 mil tijolos. "Depois, começam a apresentar sinais de desgaste", avalia. Outro ponto de atenção é a sazonalidade do negócio. Na época de chuva as obras diminuem. Entretanto, não é aconselhável parar a produção.

- Quem já começou a construir não vai parar, mesmo com as chuvas. E quando acabar o período chuvoso, a demanda aumentará - explica. Para reduzir os custos no período de pouca procura, Araújo desliga algumas máquinas e dispensa funcionários. "Procuro manter a produção para não perder clientes na estação seca", comenta.

Mercado

Embora a resistência dos consumidores ainda seja grande, os fabricantes acreditam no crescimento do mercado, o que depende de propaganda e incentivo do Governo. "Como o produto ainda está sendo introduzido, a qualidade deve ser impecável. Nunca prometo um grande entrega, se tiver que diminuir o nível de qualidade", comenta Manhães.

Credibilidade é fundamental para conquistar os consumidores. "O boca-a-boca é a nossa melhor propaganda. Não podemos errar", afirma Araújo. Segundo os fabricantes, uma das grandes vantagens do tijolo ecológico é a redução do custo final da obra e a agilidade.

- São tijolos mais fáceis de encaixar e não precisam da argamassa de assentamento. São encaixados ou assentados com um leve filete de solo-cimento - explica Carlos Prata, lembrando que a economia pode chegar a 40% do custo total da obra.

Para a consultora do Sebrae/RJ, Maria Garcia, é preciso adotar uma estratégia de marketing atuante em cima do produto. "As pessoas desconfiam do que é novo. É preciso explicar e comprovar a funcionalidade do tijolo ecológico. Depois que elas entenderem que pagarão mais caro pelo tijolo, mas terão benefícios superiores ao custo no final da obra, a confiança é conquistada", explica Maria.


Investimento Inicial:

Conforme a estrutura do empreendimento, o valor estimado, para o empreendedor iniciar esse tipo de negócio, pode ficar em torno de: R$ 11 mil para aquisição de duas máquinas e cimento (excluindo o ponto)
Faturamento: o milheiro custa entre R$ 340 é R$ 550.
Margem de lucro sugerida: 20% a 25%
Número de funcionários: 8 Área: 250 metros quadrados
Risco: médio a alto pela resistência dos consumidores a novos produtos e necessidade de investimento em propaganda.

Fonte: Jornal do Commércio -17/05/2004

Veja Também:

Vídeos tijolo

Um tijolo ecologicamente correto

Legislação

Os passos para registro de uma empresa industrial

Veja também

Os riscos da informalidade
Qualidades do Empresário de Sucesso

Vale ressaltar que a fabricação do tijolo ecológico também deve seguir exigências estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas, nas NBR10833 e NBR10832. Site: http://www.abnt.org.br/.

Plano de Negócio

Sugerimos sua participação no Negócio Certo Sebrae

O Negócio Certo é um programa de Auto-Atendimento oferecido pelo SEBRAE gratuitamente, por meio digital ou material impresso, especialmente destinado as pessoas que buscam orientações práticas sobre planejamento, abertura e gestão de novos negócios.

Além da internet o Programa Negócio Certo Sebrae, disponibilizará as informações em:

- estações de auto-atendimento nos Pontos de Atendimento ao Cliente do Sebrae em Santa Catarina;
- em CD Rom,
- em material impresso que podem ser solicitados através do 0800-6430401

Eventos

O empreendedor deve estar sempre em contato com as entidades e associações para obter informações sobre os eventos que ocorrerão dentro da sua área (tipo, data, local de realização). Os eventos como feiras, roda de negócios, congressos, etc., são muito importantes para o empresário ficar por dentro das tendências de mercado, conhecer novos produtos e tecnologias, realizar parcerias e fazer bons negócios.

Onde pesquisar: União Brasileira de Feiras e Eventos - UBRAFE:
http://www.ubrafe.com.br