CASA LOTÉRICA

 
 

Apresentação

As casas lotéricas surgiram em 1970, como concessão. O programa de conversão da rede para o sistema de franchising começou há três anos. Entre as mudanças que vieram na seqüência estão a padronização visual da rede e a criação de um grupo de apoio aos franqueados, formado por consultores de campo. Foram criados novos produtos e a melhora do desempenho das unidades passou a ser uma preocupação da Caixa.

Mercado

Hoje, são 6.500 casas lotéricas espalhadas pelo país, e a uma tendência de crescimento do mercado, visto que a possibilidade de honrar os compromissos sem precisar enfrentar filas são os principais responsáveis pelo crescimento no volume de negócios das Casas Lotéricas. Das contas de água, luz e telefone de todo o país, metade é paga em casas de loteria, estuda-se a proposta de oferecer novos serviços, tais como: abertura de contas; pagamento dos aposentados pelo INSS; recebimento de IPTU e PIS e saques e depósitos de contas correntes e de poupança do banco. Trocando em miúdos: mais clientes nas lojas e mais comissões para os lotéricos.

Investimento Inicial

Conforme a estrutura do empreendimento, o valor estimado, para o empreendedor iniciar esse tipo de negócio, pode ficar em torno de: R$ 30.000,00, já incluídas as despesas com padronização, tarifa de permissão e demais investimentos referentes à instalação da Unidade.

Estrutura

A Caixa Econômica Federal exige que as instalações das Casas Lotéricas sejam padronizadas de acordo com projeto estabelecido, que vai desde os equipamentos até a padronização da casa lotérica, para tanto, presta assessoria e orientação ao interessado.

Equipamentos

Os equipamentos básicos são:

- Equipamentos de informática;
- Equipamentos de segurança;
- Material de expediente;
- Imobiliário em geral, etc..

Alguns equipamentos são fornecidos pela CAIXA, sob regime de comodato, sem ônus para o empresário lotérico.

Perfil do empresário

Os maiores empreendedores do ramo são unânimes ao afirmar que o negócio exige muito do empresário, que precisa estar atento, empenhado em aumentar o faturamento, conquistado centavo a centavo.

Retorno

A boa lucratividade dependerá da capacidade administrativa do permissionário, de uma boa estratégia de divulgação, da grande quantidade de jogos efetuados, dentre outros requisitos.

Tipos de unidades lotéricas

As Unidades Lotéricas são classificadas da seguinte maneira:

- Casa Lotérica. Unidade que comercializa todas as loterias federais e produtos conveniados, atuando, ainda, na prestação de todos os serviços delegados pela Caixa;
- Casa Lotérica Avançada. Extensão da Casa Lotérica, obrigatoriamente vinculada àquela Unidade, que comercializa todas as loterias federais, produtos conveniados e presta todos os serviços delegados pela Caixa;
- Unidade Simplificada de Loterias. Unidade instalada exclusivamente em município onde não exista outra unidade lotérica. Atua na comercialização de todas as loterias federais, produtos conveniados e na prestação de todos os serviços delegados pela Caixa;
- Mini Unidade lotérica. Dispõe de apenas um equipamento de captação de apostas, atuando exclusivamente na comercialização das loterias federais e produtos conveniados;
- Unidade Móvel. Unidade adaptada em veículos automotivos que atua, mediante roteiro preestabelecido pela Caixa, na comercialização das loterias federais, produtos conveniados e na prestação de serviços delegados.

Abertura de novas concessões

A Caixa decide pela abertura de novas Casas Lotéricas a partir de estudos realizados pela Gerência de Área de Loteria da CEF, que periodicamente realiza uma análise das redes lotéricas. Comprovada a viabilidade de novas unidades no Estado, é aberta licitação pública para convocação de interessados. É a partir daí que se dá a publicação do Edital de abertura de licitação pública em jornais de grande circulação no Estado e então uma comissão interna da CEF analisa as propostas técnicas, levando em conta itens como ponto escolhido, atuação comercial e nível de escolaridade do empreendedor.

Como abrir uma casa lotérica

Para abrir uma Unidade Lotérica, comercializar todas as loterias federais e atuar na prestação de serviços delegados pela Caixa é necessário obter autorização formal da Caixa, essa autorização é concedida mediante processo licitatório, baseado em critérios preestabelecidos no Edital de Licitação.

Tal processo se dá da seguinte maneira:

- Estudo de potencialidade: Após estudar a potencialidade do mercado (a fim de determinar o município, o tipo de Unidade Lotérica e o local de sua instalação) a Caixa informa a abertura de inscrições para o processo de seleção dos interessados, pelos veículos de comunicação local.
- Seleção: O candidato passa por um processo de seleção, onde será preenchida uma ficha cadastral, Guia de Pesquisa Cadastral, Solicitação de Permissão e deverá estabelecer um vínculo com a CEF para depósito do movimento da Casa Lotérica.
- Tarifa de permissão: Trata-se de uma autorização dada à pessoa física ou jurídica - pela qual é cobrada uma taxa - para comercializar loterias administradas pela CEF. A concessão da permissão dependerá da disponibilidade de equipamentos da Instituição e do resultado de uma análise feita pelos técnicos da CEF nos locais pré-estabelecidos pelos Escritórios de Negócios do potencial do mercado e da possibilidade de eficiência na execução dos serviços.
- Contrato de Adesão: Após todos os processos legais, é firmado um contrato com a Caixa, em seguida, há possibilidade de - após treinamento -, proceder à padronização física do imóvel e à instalação dos equipamentos, dando início às atividades lotéricas.

Outra maneira de obter a concessão do serviço é através da transferência do direito de exploração de algum empresário já estabelecido no ramo. Nesses casos, ainda há necessidade de autorização da CEF, que cobra irá cobrar um valor como Taxa de Transferência.
A relação comercial Caixa/Empresário Lotérico tem como fundamento o REGIME DE PERMISSÃO (Ato administrativo pelo qual o Poder Público delega, mediante licitação, a prestação de serviços públicos à pessoa física ou jurídica que demonstre capacidade para seu desempenho, por sua conta e risco) e é regulamentada por documento NORMATIVO DA CAIXA.
Para maiores informações consultar o site da Caixa Econômica Federal.

Medidas de segurança

Antes muito visadas e alvos de vários assaltos, hoje as Casas Lotéricas aparecem com menos freqüência no noticiário policial, graças à adoção de medidas impostas por cláusulas de seguro. A determinação é de que, por dia, devem ser feitos dois depósitos bancários do dinheiro arrecadado - é proibido manter em caixa mais de R$ 1 mil. As lojas dispõem ainda de cofres do tipo "boca de lobo", com equipamento de retardo.


Recomenda-se verificar o site:
http://www.caixa.gov.br/Loterias/Abertura_de_Unidade_Loterica/index.asp

Legislação

Os passos para registro de uma empresa prestadora de serviços

Veja também

Os riscos da informalidade
Qualidades do Empresário de Sucesso


Plano de Negócio

Sugerimos sua participação no Programa Negócio Certo

O Negócio Certo é um programa de Auto-Atendimento oferecido pelo SEBRAE/SC gratuitamente, por meio digital ou material impresso, especialmente destinado as pessoas que buscam orientações práticas sobre planejamento, abertura e gestão de novos negócios.

Neste programa você acessa um Banco de Idéias de Negócios com informações sobre 650 diferentes negócios voltados para o ambiente de micro e pequenas empresas e às tendências atuais do mercado, considerando investimentos compatíveis ao perfil de negócio do cliente.

Além da internet o Programa Negócio Certo Sebrae, disponibilizará as informações em diferentes formas de acesso:

- estações de auto-atendimento nas agências do Sebrae em Santa Catarina;
- em CD Rom,
- em material impresso que podem ser solicitados através do 0800-6430401