NEGÓCIO BOM PRA CACHORRO. QUALIDADE FAZ DIFERENÇA NOS PETS

 
 

A fidelidade do cliente é conquistada com bom atendimento e, sobretudo, carinho com os animais estimação expandiu os pet shops. O aumento do número de lojas especializadas acirrou a disputa em busca de clientes. Agora, no mercado das rações, banho e tosa, o diferencial que garante o sucesso do negócio é a qualidade no atendimento.

Segundo o professor do curso Como Montar um Pet Shop, do Senac São Paulo, Alexandre Zonata, o proprietário desse tipo de loja deve atender às expectativas do cliente no trato com cão ou gato. Para ele, as pessoas têm envolvimento sentimental com os animais, estabelecendo laços profundamente afetivos. Os donos têm o bicho como um ente familiar.

No entanto, o empresário interessado em abrir uma loja deve ter outras características que possibilitem a sobrevida do negócio. oje não é tão simples administrar a loja por causa da concorrência, diz o professor.

Para montar um pet shop, o investidor deve ter principalmente perfil empreendedor. Conhecimento de conceitos básicos de administração, capacidade de assumir riscos e constante capacitação merecem destaque na condução do negócio. Além disso, o candidato a dono de pet shop, obviamente, tem de gostar de animais de estimação.

Antes de abrir as portas do estabelecimento, o empresário também precisa considerar a demanda, o local, a concorrência e o público-alvo. Após a abertura, o proprietário deve estar atento a alguns cuidados básicos que asseguram a rentabilidade do negócio.

Para o consultor de Administração Geral do Sebrae-SP, Sérgio Diniz, higiene, ambiente agradável, qualidade, pontualidade e mix vasto de mercadorias e serviços como banho, tosa, venda de filhotes e clínica veterinária ajudam a conquistar a confiança e a fidelidade do cliente.

CONSUMO - Segundo o diretor-executivo da Associação Nacional dos Fabricantes de Alimentação para Animais de Estimação (Anfal Pet), José Edson de França, pet shop é fenômeno de grandes cidades. No interior, a indústria distribui produtos em avícolas.¿

Dados da Anfal Pet mostram que 40% dos animais de estimação são alimentados com ração industrializada. O índice se manteve estável entre 2003 e 2004. ¿Os pet shops não estimularam o crescimento do consumo, explica França.

Para o diretor da Anfal Pet, o preço da ração limita as vendas. ¿A redução da carga tributária baixaria o valor do produto, argumenta.

EXPANSÃO - A Pet Center Marginal megaloja instalada na zona norte da capital está expandindo a rede por meio da franquia Bicho sem Grilos. Duas lojas já operam e, em breve, a rede vai inaugurar uma unidade em Ribeirão Preto, no interior do Estado.

A proposta é uma grife de lojas em shoppings, explica Silvio Chagas, coordenador de franquia da companhia. A instalação de uma loja Bicho sem Grilos custa de US$ 100 mil a US$ 300 mil. O retorno do capital se dá entre 38 e 44 meses.

Empresário monta loja com serviço de Táxi-Dog

Em sete meses, muito investimento e uma revolução nos negócios. Mudando de proprietário, a velha avícola se transformou em um pet shop com visual e conteúdo repaginados.

A Empório dos Animais, no bairro do Sumaré, zona oeste da capital, de propriedade do empresário Francisco Vianna Lourenço, passou a focar a estratégia no cliente mais sofisticado e exigente.

A primeira medida foi aproximar o cliente do interior da loja. Coloquei banho e tosa à vista. Reformei a loja e coloquei azulejo branquinho. Tudo bem limpo, explica Lourenço.

Para agradar aos consumidores, o proprietário firmou parceria com hotéis de animais e passou a oferecer serviço de táxidog. Ampliou também o mix de produtos e investiu R$ 45 mil no negócio.

Para divulgar o nome da loja pelo bairro, Lourenço fez pequena campanha de marketing e contou com o boca-a-boca.

O empresário investiu no atendimento, seguindo a tendência do mercado. Aumentou o número de funcionários e contratou uma médica veterinária. Para Lourenço, o diferencial está na qualidade e variedade. Hoje, ofereço todos serviços e, por isso, vou buscar cães em outros bairros. Tenho a fidelidade e a confiança da clientela.

O investimento no setor não foi por acaso. A mulher do empresário era revendedora de rações e o empresário atuou por seis anos como gerente de varejo de multinacional de marcas de refrigerantes.

Crescendo no ramo de pet, Lourenço está satisfeito com os resultados e reconhece a responsabilidade do negócio. Você lida com vida e precisa ter todo cuidado com os bichos.

Um cão ideal para cada dono

Comprador deve avaliar o espaço disponível em casa antes de optar por cães de companhia, de guarda ou de perfil esportivo

O olhar cativante do cãozinho na vitrine do pet shop à espera de um dono comove qualquer um. Se houver criança por perto então, não há pai que resista a levar o bichinho para casa. Mas é preciso avaliar bem as características da raça antes de comprar qualquer filhote.

O presidente do Kennel Clube Paulista, Marcelo Bauer, avisa que o primeiro cuidado é avaliar o espaço no qual o cão viverá. Raças de comportamento muito ativo, como labrador ou boxer, não podem ser criadas em áreas pequenas. São cães que precisam queimar energia e, se não tiverem espaço para correr, vão comer pedaços da porta, do tapete e tudo que encontrarem pela frente.

Para apartamentos, Bauer indica raças de pequeno porte ou os chamados cães de companhia, como poodle, yorkshire, maltês, shit-su ou ilhasa apso. Em casas maiores, o dono pode escolher entre os cães de guarda (pastor alemão, fila brasileiro ou rottweiler) e os de perfil esportivo (pointer, labrador, boxer, golden retriever, setter irlandês).

Bauer recomenda que os filhotes sejam comprados em canis credenciados no Kennel Clube Paulista. Outra opção é procurar pet shops de confiança. Em ambos os casos, o cão deve ser levado a um veterinário assim que deixar o estabelecimento. O profissional poderá avaliar a saúde do animal, indicar as vacinas e dar dicas de alimentação e higiene.

A veterinária Valéria Corrêa, gerente clínica da loja Pet Center Marginal, avisa que nenhum cachorro deve ser comprado sem a primeira dose de vacina, geralmente aplicada aos 45 dias de vida. Antes dessa fase, o cão ainda está exposto a doenças que podem levá-lo à morte. Também é recomendável exigir uma garantia do vendedor contra a preexistência de verminoses que podem comprometer a saúde do animal.

Outro cuidado é com os produtos comprados para os filhotes. Valéria explica que a ração deve ser a mesma dada pelo antigo dono e qualquer troca deve ser feita gradualmente. Nessa fase, também são proibidos ossinhos com corantes, talco antipulga (somente com indicação do veterinário) e brinquedos muito pequenos, que podem ser engolidos.

Por fim, é necessário olhar o pedigree, certificado que comprova que a raça é realmente pura.O documento deve ser registrado na Confederação Brasileira de Cinofilia ou na Associação Cinológica do Brasil.

Tomadas essas precauções, basta pesquisar preços. Um yorkshire, raça das mais procuradas em pet shops, pode custar até R$ 1.500. Em compensação, filhotes de cocker spaniel sem pedigree custam a partir de R$ 300.

Plano de saúde está chegando

Serviço será lançado neste semestre pela Dog Bakery

O mercado de produtos e serviços para cães cresceu e hoje conta com padarias especializadas, hospitais veterinários 24 horas e até crematórios. Mas a principal novidade deve chegar nos próximos meses, com o lançamento do plano de saúde para cães.

A idéia de criar um plano hospitalar canino partiu do empresário Clarismundo Milani, proprietário do Dog Bakery ¿ Centro de Cuidado Animal, complexo que reúne hospital 24 horas, centro de estética e pet shop, no bairro da Aclimação, em São Paulo. ¿Estamos finalizando os últimos detalhes e pretendemos lançar o plano Full Care até junho.¿

Os cães poderão utilizar os serviços do hospital 24 horas, que conta com UTI, sala de cirurgia, equipamentos de ultra-som, eletrocardiograma e raio-x, além do laboratório de exames.

Para melhor atender os clientes, a Dog Bakery também conta com uma padaria para cães instalada ao lado do pet shop. O estabelecimento oferece bolos, biscoitos, tortinhas, rocambole de carne e até pizza, tudo de acordo com a tabela nutricional dos cães.

Outras empresas também investem no tratamento vip para os animais de estimação. O Clube Pet Memorial, em São Bernardo (SP), presta assistência funerária, com remoção do animal, realização de velório e cremação. O dono ainda recebe as cinzas em urnas de bronze, acrílico ou madeira.

Criação exige muito tempo e dedicação

Iniciar uma criação de cães exige dedicação e cuidados especiais. Além de preocupar-se com a alimentação e com as vacinas, o criador precisa ter espaço para separar os animais e ainda manter o local sempre limpo.

É trabalhoso, mas vale a pena, diz Magdalena Aranha, que iniciou sua criação de boxer há 60 anos e hoje coleciona mais de 70 prêmios. Não dá para ficar rico, mas o reconhecimento gratifica, resume.