SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 05/08/2005
Autor: VINICIUS NEDER
Fonte: Jornal do Commércio

O desafio de gerir pessoas

Executivos dizem que o segredo está no autoconhecimento

A noção de que todos os chefes de equipe também são responsáveis pela gestão de Recursos Humanos (RH) está cada vez mais difundida, mas profissionais ainda têm dificuldades para colocar a idéia na prática. Executivos experientes e bem sucedidos em suas carreiras garantem: o primeiro passo para gerir pessoas numa equipe é o autoconhecimento. Em seguida, vem a percepção da diversidade humana, incluindo sensibilidade emocional.

- O chefe da equipe pode ser um jovem, solteiro, disposto a trabalhar horas a fio pelos resultados, mas seu trabalho depende da equipe, que pode ser formada por pessoas casadas, com filhos, que precisam de mais tempo para si. É dever do líder perceber e lidar com isso - disse João Marcelo Ramires, presidente da Refrescos Guararapes.

Aos 33 anos, Ramires foi conferencista do 31º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas (Conarh 2005), encerrado ontem em São Paulo. É o principal executivo da fabricante de Coca-Cola para os mercados de Pernambuco e Paraíba, empresa com 2,2 mil funcionários. Desde os 23 anos, o executivo assume funções de chefia de equipes, sempre na área de finanças, com passagens pela Coca-Cola, AT&T e a consultoria Ernest & Young. - Não é fácil colocar em prática a gestão de pessoas - reconheceu Ramires. Por isso, um dos trabalhos do executivo na Refrescos Guararapes, desde que assumiu a presidência, há dois anos, tem sido desenvolver lideranças. "Conseguimos melhorar resultados de vendas sem mexer muito na equipe", completou. O autoconhecimento se coloca como um primeiro passo para ser também gestor de pessoas. No caso de Ramires, ouvir feedback de sua equipe e fazer autocrítica foi fundamental para partir da consciência à prática. Sérgio Leite, diretor do departamento de Ferrosos Sul da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD), confirma a necessidade do autoconhecimento. "Fiz dez anos de análise para gerir melhor minhas equipes", disse Leite, que hoje comanda 8 mil funcionários.

A diferença entre gerência e liderança

Segundo João Dornellas, diretor de RH da Nestlé do Brasil, cada vez mais as empresas precisam de lideranças. O executivo difere liderança e gerência. "O líder trabalha com a mudança, é puxado pelo futuro e lida com as pessoas", disse Dornellas, também no Conarh 2005. Já a gerência está mais ligada ao controle de processos, máquinas e tecnologia. Administrador de empresas, o executivo da Nestlé tem 20 anos de carreira, muitos deles como chefe de equipes. Na área de RH, ele está há pouco menos de três anos. Sua atuação como gestor de pessoas em cargos em áreas diversas foi fundamental para a mudança de área. - Fui convidado para assumir o cargo e aceitei o desafio porque dei atenção à questão ao longo de minha carreira - afirmou Dornellas, que teve passagens por diversas áreas não só no Brasil, mas também em países como o México. Como diretor de fábricas, o executivo já chegou a comandar milhares de funcionários. Ao abordar o tema, Leite, da CVRD, destacou a importância de basear os relacionamentos dentro de uma equipe em bases emocionais. Indo além, o gestor de pessoas deve também levar em conta o lado espiritual de seus colaboradores. "Isso significa que cada um tem suas limitações, que devem ser lavadas em conta", explicou o executivo. A experiência de Leite à frente de equipes inclui passagens pela China e pelo Oriente Médio e ele ressalta a importância em lidar com a diversidade das pessoas. Outra dica dos executivos para profissionais que assumem posições de chefia de equipe é basear as relações na transparência. Nesse ponto, a comunicação franca é o mais importante. - Quase sempre, quando um profissional está cheio de tarefas a cumprir e um colega o interrompe já perguntando se está incomodando, a resposta é negativa. É importante haver liberdade suficiente para pedir para o colega vir em outro momento - exemplificou João Dornellas, da Nestlé. Dar e receber feedback também é importante para lidar com a equipe. "Um exercício interessante para quem está começando é perguntar a sua equipe, seus colegas, como eles o vêem", recomendou João Ramires, presidente da Refrescos Guararapes, para completar: "quase sempre, a imagem feita pelos outros é totalmente diferente da que temos sobre nós mesmos".

Conarh 2005 terminou ontem

O principal fórum de discussões sobre práticas de gestão de RH terminou ontem, em São Paulo, sua 31a edição. O Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas (Conarh 2005) debateu, desde segunda-feira, práticas inovadoras de gestão de pessoas, suas conexões com a globalização, resposnabilidade social, entre outros temas. O congresso deste ano também marcou os 40 anos da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), cujo sistema nacional realiza o evento. Ao todo, foram 2,7 mil congressistas reunidos, entre estudantes, acadêmicos e executivos de RH e outras áreas, para um total de 33 palestras. Do exterior, vieram seis delegações: Estados Unidos, Paraguai, Ruanda, Cabo Verde e Angola. Já a feira de produtos e serviços Expo ABRH 2005, teve 6,2 mil visitantes. O destaque da conferência de encerramento foi Viviane Senna, presidente do Instituto Ayrton Senna. Paralelamente, a Expo ABRH 2005 reuniu consultorias e prestadores de serviços de gestão de RH e benefícios, recebendo cerca de 7 mil visitantes. Foram 140 expositores apresentando suas novidades para atender os diversos tipos de demanda dos gestores de RH. Em seus estandes, alguns exposritores também patrocinaram palestras para o público visitante. Além dos estantes e da demonstração de produtos e serviços, a Expo ABRH 2005 teve espaços para assuntos específicos. A Arena Social, em sua segunda edição, dobrou de tamanho: 15 empresas e 15 organização não-governamentais (ONGs) apresentaram seus projetos. A responsabilidade social e sua conexão com a gestão de RH também foi assunto de palestras durante o congresso. Já o Espaço Mulher e o Espaço Digital foram novidades desta edição da exposição. No primeiro, foram apresentados produtos e serviços específicos para as funcionárias das empresas. Maria Hyeronides Barros de Lima, diretora executiva da ABRH e responsável pela exposição, destacou a importância de valorizar as mulheres. - Cerca de 60% dos participantes do congresso e da feira são do sexo feminino - afirmou. No Espaço Mulher, estiveram presentes empresas como Avon, OX Cosméticos, Hospital Sírio-Libanês e Editora Símbolo. Já no Espaço Digital, o objetivo foi exibir lançamentos em soluções tecnológicas, tanto para as empresas como para os profissionais.


Destaques da Loja Virtual
LOJA DE AVIAMENTOS

Este perfil tem como finalidade apresentar informações básicas a respeito da abertura de uma Loja de Aviamentos. Serão abordados assuntos relacionados...

De R$8,00
Por R$6,00
Desconto de R$2,00 (25%)