SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 10/01/2006
Autor: A Notícia
Fonte: A Notícia

Um ano que deve ser bom para os negócios

Planejamento é fundamental para garantir crescimento e se dar muito bem na hora de abrir sua própria empresa

Joinville - Um ano que começa com boas projeções de crescimento da economia e eleições à vista, estimulando os gastos do governo, tende a ser bom para a abertura de negócios. No entanto, ainda que a facilidade esteja maior, não basta entrar na hora certa para garantir o lucro. Além de planejar a entrada, é fundamental investir em áreas que tenham espaço ou tendência de crescimento para não ganhar apenas nas horas de maré cheia, mas estruturar um negócio lucrativo a longo prazo.

Um dos principais motivos é que as empresas começam a dar resultados somente depois de três anos, outro é que a taxa de mortalidade das empresas no Brasil é muito alta. Ainda assim, as micro e pequenas empresas são 99% dos estabelecimentos catarinenses e responsáveis por 60% dos empregos formais, segundo o Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae). Fundamental para quem quer aproveitar a chance para entrar no mercado é "ficar de olho nos modismos que vão perdurar", como indica o professor
de Administração da Universidade do Vale do Itajaí Fernando Lenzi.

Um dos caminhos mais fáceis é apostar em empresas voltadas à prestação de serviço ou comércio, que demandam menos investimentos para a entrada, como orienta o gerente de comunicação e mercado do Sebrae, Spyros Diamantaras. "Antes era a indústria que mais gerava emprego, atualmente são o comércio
e os serviços. Além de a barreira de entrada ser menor nesses setores".

Depois de decidido o segmento, a recomendação é investir em áreas-chave e sem perspectiva de inversão de tendência. A principal delas está relacionada à tecnologia, que deve ter o uso na indústria ampliado, além de necessitar assistência constantemente.

A mesma baixa probabilidade de encolhimento é enxergada na área da educação. Com a necessidade cada vez maior de capacitação e conhecimento, seja cursos voltados às crianças ou formação profissional, o campo aberto é bastante promissor, tanto que até quem trabalha indicando caminhos aposta em negócios na área. "Eu estou montando uma escola de empreendedorismo, liderança e vendas", afirma o consultor de empresas da GRC Consultoria, Armando Menezes de
Carvalho.

O ramo de alimentação e turismo deve trazer boas perspectivas de resultados para quem apostar na segmentação ou busca de mais qualidade de vida através de atividades realizadas por necessidade, como indica Lenzi. "Cada vez mais as pessoas se alimentam fora de casa, além disso, está havendo um grande espaço elitizado, voltado à cozinha internacional".


Destaques da Loja Virtual
A ARTE DE GERIR PESSOAS

"Qual o maior desafio de um ambiente criativo, seja este ambiente uma empresa brasileira, uma americana ou uma européia? Conseguir espaços criativos s...

R$25,00