SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 26/01/2006
Autor: Diário do Comércio & Indústria
Fonte: DCI

Franquia é investimento com risco menor

Para o empresário que deseja diversificar seus investimentos, Camargo recomenda escolher uma área que tenha afinidade como os demais negócios

A abertura de uma franquia pode ser uma maneira de diversificação dos investimentos. Como as franquias já são um negócio consolidado com uma marca conhecida no mercado, a perspectiva de risco é menor se comparada a um negócio que começa do zero. De acordo com os dados divulgados pelo Sebrae, 80% das empresas fecham em um período de cinco anos enquanto, nas empresas franqueadas, este número cai para 15%.

¿O risco de falência apresentado pelas franquias é menor porque o franqueador já conhece a atuação do segmento no mercado e é direcionado quanto ao marketing, atendimento e localização, que é um dos pontos fundamentais¿, analisa Ricardo Camargo, diretor executivo da Associação Brasileira de Franchising (ABF). De acordo com ele, geralmente o retorno do investimento ocorre em um prazo de dois a três anos.

Para o empresário que deseja diversificar seus investimentos, Camargo recomenda escolher uma área que tenha afinidade como os demais negócios.

Os setores ligados à alimentação, educação, limpeza e higiene pessoal são os que estão em expansão nesse ramo de atividade.

Embora o setor de alimentação tenha muitas lojas, o diretor acredita que ainda haja potencial de crescimento, pois substitui os restaurantes e lanchonetes já existentes. Já o setor automotivo tem projeção de crescimento de 40% para este ano. Ele aposta também em crescimento para as regiões centro-oeste e sul do País.

Para André Friedheim, diretor da Francap Consultoria , a escolha da franquia deve levar em conta o valor do investimento. ¿Se o objetivo é alta rentabilidade, o investimento tem que ser maior. Mas se for para complementar a renda, o ideal são os negócios menores¿, diz ele.

Entre os grandes investimentos, Friedheim cita os restaurantes fast-food nos shopping centers, as clínicas de estética e as academias. Os setores de prestação de serviços, vestuário e as cafeterias são investimentos de pequeno a médio porte, dependendo do tamanho da loja. Friedheim acredita que o mercado de franquias ainda deve se expandir no País.

¿O crescimento da indústria dos shopping centers está ancorado nas franquias. Os Estados Unidos têm 5 mil shoppings e o Brasil tem apenas 500¿, analisa.

O consultor destaca como uma desvantagem a maior limitação de venda da franquia em relação a uma loja comum. ¿Quando o franqueado pretende vender ou transferir sua franquia, muitas vezes ele tem que respeitar o prazo prescrito pelo contrato e esperar que o franqueador selecione outro interessado pela loja¿, afirma.

Friedheim sugere que o empreendedor converse com alguns franqueados da rede em que pretende investir. ¿Ele pode perguntar ao franqueado se compraria outra loja da mesma rede e procurar saber se algum franqueado comprou mais de uma loja do mesmo franqueador¿.

Os argumentos para investir em uma franquia podem ser considerados vantajosos ou não, dependendo da autonomia que o franqueado pretende, já que ele tem que seguir as regras de cada rede franqueadora.

A marca conhecida do público consumidor pode ser um marketing forte e uma facilidade para o empreendedor, que não precisa desenvolver uma nova marca.

No entanto, o desempenho de uma única loja, pode afetar a imagem de toda a rede.

Devido ao grande número de pedidos, a rede de franquias tem um maior poder de negociação junto aos fornecedores e produtores, o que diminui os preços dos produtos e pode facilitar as condições de pagamento, o que uma empresa comum dificilmente conseguiria por conta própria. Contudo, o franqueado tem a obrigação comprar apenas de determinados fornecedores que seguem os padrões ditados pela rede franqueadora.

O franqueador geralmente auxilia na escolha do ponto comercial. Caso o franqueado resolva escolher o local para implantação da loja, sua escolha está sujeita à aprovação ou veto. As unidades franqueadas seguem um estilo de padronização quanto ao estilo e decoração, o que ajuda no reconhecimento da rede. Porém, impede o franqueado de inovar quanto ao formato e, muitas vezes, obriga-o a consultar um arquiteto credenciado pelo franqueador.

O franqueado tem ainda de pagar três taxas, cujo valor é estipulado pela rede franqueadora. A taxa de franquia é o valor fixo pago no momento em que ele adere à franqueadora. Esta taxa cobre os custos de transmissão do know-how, recrutamento, seleção e treinamento do franqueado ¿ e em alguns casos de seus funcionários ¿, assessoria para escolha do ponto comercial, orientação quanto aos equipamentos, estoques e serviços.

As taxas de royalties e a taxa de publicidade e propaganda são pagas mensalmente e podem ser um valor fixo ou uma porcentagem do faturamento ¿ bruto ou líquido ¿ mensal. Essa taxa é o repasse de uma parte dos lucros que o franqueador recebe por ter formatado a sua rede de franchising e transmitido seu conhecimento técnico do negócio. Já a taxa de publicidade e propaganda destina-se à manutenção de uma forma cooperada para divulgar os produtos ou serviços na mídia.


Destaques da Loja Virtual
GESTÃO DE ATIVOS INTANGÍVEIS

As técnicas de mensuração de ativos sempre deram ênfase no passado para determinar o quanto vale o negócio e quanto a empresa pode captar de recursos ...

R$45,00