SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 09/03/2007
Autor: Renata Marques
Fonte: RH.com.br

Comunicação e resultados: causa e conseqüência no mundo dos negócios

Comunicar-se com efetividade é transcender alguns conceitos, outros sensos comuns e muitos paradigmas pessoais. Para isso, o exercício de empatia representa o primeiro passo, após a consciência provinda de auto-análise e autoconhecimento, para essa tarefa, aparentemente fácil, mas que pode ser causa de conseqüências positivas ou negativas, no mundo pessoal, profissional e social.

A Globalização exige processos de excelência, quando o assunto é comunicação. É o desafio contemporâneo para quem deseja atingir objetivos e metas pessoais e em times organizacionais. Por um acaso há pessoas que não precisam ser ouvidas, aceitas ou estar em grupos, fazendo parte significativa daquilo pelo que passam e do que decidem?

Será que a Sociologia e a Antropologia erram, quando afirmam que o ser humano tem por essencial necessidade agregar-se a um grupo e com ele desenvolverem-se? Interesse e respeito; atenção e consideração são palavras desatualizadas, ou ainda são prioridades na vida de cada um de nós, seres humanos?

Comunicar-se, no mundo dos negócios... Você já se sentiu feliz por ter conseguido uma negociação, mesmo que com seus pais? Sentiu-se o rei da persuasão, porque o seu receptor (ou interlocutor) acreditou em suas idéias, pois você as expôs com objetivo, clareza, coerência, fluência verbal e segurança sobre o assunto?

Você já recebeu um feedback cuja sensação foi de "arrasaback"? Que horror, não!? Pois é, melhor que aprendamos que feedback é para criar condições para desenvolver e tornar força quilo que, no momento, é oportunidade de melhoria. Bem, por esses motivos todos, rever o conceito de comunicação é preparar-se para o mercado de trabalho; é estar entre os 5% cuja potencialidade é significativa e traz benefícios para a sua carreira.

Segundo Eunice Mendes, consultora em Recursos Humanos, "quanto ao aspecto individual, comunicar-se bem é uma forma de libertação". Quando falamos, temos a oportunidade de arrancar as máscaras e deixarmos transparecer quem realmente somos, liberando outras formas de expressão que permaneciam em estado latente. Esse processo ajuda a dar vazão ao lado criativo, deixando emergir um eu mais autêntico e profundo.

Nós nos comunicamos para sermos reconhecidos e aceitos, para sabermos quem somos, por meio do espelho que o outro nos mostra. Somos eternos investigadores de nós mesmos, mas quem nos possibilita a revelação instigadora de quem aparentamos ser, no meio em que atuamos, é o outro. É ele que nos apresenta pistas, que desvendam a parte de nós que, muitas vezes é cega e surda. Ter a sabedoria para mergulhar com coragem nessa autodescoberta é tarefa complexa. A comunicação é a ponte que propicia o desnudamento desse território tão íntimo.

Nós somos do tamanho da comunicação que conseguimos estabelecer no meio em que atuamos. Ter a coragem para se comunicar é estar disponível ao contato social. Se quisermos, cada ato comunicativo pode nos fazer despertar do sono, do limbo, da inércia, incitando-nos às ações mais produtivas.

O processo de comunicação é essencial a todos os homens; ele fortalece e imprime um nível de importância à marca Você S.A. Nossos gestos, atitudes e palavras fazem parte, permanentemente, de nossa existência e, por isso, têm o poder de projetar comportamentos, personalidade e caráter.

Quando estabeleço uma boa relação com o processo comunicativo, quando meus pensamentos e reflexões sobre as coisas e as pessoas do mundo têm qualidade, quando trato a transmissão de minhas idéias de forma inteligente, empática e sensível - facilito minhas relações interpessoais, gero produtividade, resultados e sucesso nas ações cotidianas e, por conseqüência, contribuo para um clima organizacional efetivamente necessário para um grupo e/ou organização.

"Quando nos comunicamos bem, realizamos uma viagem em direção à essência secreta do coração e da mente do outro, e nos tornamos companheiros/ cúmplices nessa travessia! Para isso, não basta falar bem, utilizando corretamente as regras gramaticais. Há necessidade de muito mais! É preciso mobilizar nossos recursos internos e externos para facilitar a arte do diálogo, que não é um simples despejar de palavras, é ir ao encontro, é abster-se de julgamentos precipitados, dando chances para a troca democrática de idéias, propiciando um clima de confiança e bem estar, utilizando a empatia na busca do processo de sinergia". (Eunice Mendes)

Podemos, então, entender também que: o processo da comunicação deve ter indicadores que nos informem do que precisamos, de fato, transformar em comunicação, informação ou conceitos; de que maneira iremos impactar o outro, positiva ou negativamente; como podemos melhorar a forma para resultados de relevância, frente às necessidades, às expectativas e os desejos do outro; como ouvir intervenções e, às vezes, interferências, para que nossas fraquezas, no ato de se comunicar, possam reposicionar-se para fins de melhoria.

Por fim, algumas dicas podem servir muito bem para que tenhamos uma comunicação de excelência, diante de uma necessidade pessoal, profissional e/ou social, nesse mundo em que estamos inserindo, precisando fazer a diferença. Aí vão elas:

1 - Conheça bem o assunto de que você falará. Lembre-se de que pode haver alguém que conheça tanto quanto ou mais que você. Pode haver também aquele que precisa se tornar presente, fazendo com que o outro passe a estar ausente. Sabemos que isso é perverso, mas sabemos também que cada ser humano possui uma história.
2 - Conheça bem o seu público. Precisamos saber para quem falaremos. Assim, precisamos melhor a forma e as abordagens do tema.
3 - Esteja preparado para quebrar paradigmas; adaptações de formas e estratégias; mudanças inesperadas; interferências e intervenções. Lembre-se de que seu conhecimento não é original; outras pessoas também o detêm. Melhor, então, é agregar para melhorar.
4 - Conduza com humildade, dando oportunidade de interação. Afinal, COMUNICAR vem do Latim communicare cujo radical comum (communis) diz que "pertence a todos ou a muitos".
5 - Sentir-se feliz em ser responsável por "comunicar"; ser o emissor do processo.
6 - Lembre-se de que sua comunicação tem um fim. Sendo ponderado, coerente, justo e preciso, busque persuadir.
7 - Sinta-se autoconfiante e estimulado para conduzir o processo.
8 - Utilize a comunicação de forma plena, estimulando os interlocutores a ouvirem; participarem e fazerem parte integral desse processo. Afinal, comunicar é o primeiro processo na relação de ensino/aprendizagem.


Destaques da Loja Virtual
MINIMERCADO

Este perfil tem como finalidade apresentar informações básicas a respeito da abertura de um Minimercado. Serão abordados assuntos relacionados ao merc...

De R$8,00
Por R$6,00
Desconto de R$2,00 (25%)