SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 12/06/2007
Autor: Sebrae
Fonte: Sebrae

Ser dono ou empregado?

Quem nunca pensou em dar um bico no emprego e virar patrão? É, mas será que abrir um negócio está ao alcance de qualquer um?

São Paulo - Quem nunca pensou em dar um bico no emprego e virar patrão? É, mas será que abrir um negócio está ao alcance de qualquer um? Ou é preciso ter nascido com essa vocação? Com a palavra, Max Gehringer, nosso especialista em carreiras.

Por que decidir ter o meu próprio negócio? "Um sonho", diz o analista de redes Alexandre Rici. "Eu acredito no meu trabalho, eu acredito no meu potencial", afirma a estilista Bela Villas. "Você precisa ter uma ousadia na vida", completa Alexandre.

Quanta gente já não pensou, ou ainda está pensando, como seria maravilhoso ser dono do próprio nariz? "Acho que o me motivou a ter o meu negócio próprio é nunca ter tido muita paciência para aturar chefe", conta Aimar de Paula, dono de uma pizzaria.

Não ter que dar satisfação a ninguém, acordar e dormir na hora em que quiser. Tudo isso parece um sonho, mas não é. Na verdade, essa deve ser a primeira decisão que uma pessoa toma na vida profissional: resolver se nasceu para ser dono ou empregado.

"Não adianta a gente só pensar no ideal: `Nossa, eu vou abrir o meu negócio e vai ser uma maravilha", alerta a publicitária Poliana Vancin.

Ser empregado ou ser dono não é uma questão de escolha. É uma questão de vocação. Ser empregado é bom. Ser dono também é. O importante é achar o caminho certo.

Na pizzaria do Aimar, conversamos com presentes e futuros empreendedores. A idéia é ver as dificuldades que as pessoas encontram ao abrir o próprio negócio. Nós vamos começar com o casal Alexandre Rici e Poliana Vancin.

"Bom, eu trabalhei seis anos no ramo de automação bancária. Saí da empresa e estou há seis meses procurando um negócio para abrir", conta Alexandre. "Uma amiga minha me deu a idéia: `Ah, por que você não procura uma chocolateria?". E a gente foi. Fez todo o processo da franquia¿, conta Poliana. "A gente descobriu algumas lojas no Terminal Rodoviário Tietê que estavam para ser alugadas", completa Alexandre.

Quem nasceu para ser empregado gosta de trabalhar em equipe e aceita sugestões numa boa. Quem nasceu para ser dono gosta de tomar as próprias decisões e detesta ouvir palpites.

"A Poliana e eu somos bem diferentes. Eu sou uma pessoa bastante ansiosa, quero tomar decisões rápidas. Ela já é mais calma e ponderada nas decisões dela", compara Alexandre.

Para duas pessoas que não têm ainda uma experiência em um negócio próprio, é bom que os sócios sejam diferentes, como vocês são. Muita gente procura o melhor amigo, é parecidíssimo com o amigo, e, normalmente, as pessoas pensam tão igual, mas tão igual, que, se uma comete um erro, a outra comete o mesmo erro.

"É confortável a sensação de ser dono. Só não é quando o gerente do banco te liga de manhã te falando que você tem que cobrir a conta", brinca Aimar.

Aimar é que se poderia chamar de: o menino que nasceu para ser empreendedor. O Aimar tinha raiva quando, desde pequeno, quando alguém dizia que ele iria ser empregado. "Este é o sexto negócio formal, registrado, que eu tive até hoje. Eu abri uma escola de música, uma escola de inglês, um bistrô e um self-service. Fechei, abri uma pizzaria e fechei. Não ia para frente de jeito nenhum. Não sabia praticamente nada de negócios. Só comecei a fazer pizza, distribuir panfleto e vender", conta Aimar.

Aimar é o típico empreendedor por vocação que a gente tem no Brasil. Por quê? Porque nós temos muitos empreendedores no Brasil que são empreendedores por necessidade. São empreendedores que ficaram sem emprego e resolvem abrir um negócio próprio. Ou não gosta do chefe e resolve abrir o negócio próprio.

"De cada dez empresas que abrem, cinco são por necessidade, quando o empreendimento bom deveria ser aquele por oportunidade", diz o consultor do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) Ricardo Tortorella.

Quem nasceu para ser empregado aprecia a estabilidade e o salário garantido no fim do mês. Quem nasceu para dono gosta de correr riscos. "Para você ter um negócio e para que ele dê certo, você precisa dar passos maiores que a sua perna", observa a estilista Bela Villas. Ela está no ramo de confecção.

"Tenho a empresa há seis meses. Trabalho desde os 15 anos com moda. Tenho duas sócias. Elas decidiram investir no meu trabalho, e aí surgiu a nossa empresa. Parecia que tudo era muito fácil: "Nossa, a gente abriu e já deu certo". Só que a gente abriu no mês de dezembro, que é um mês muito especial. Ao longo do tempo, a gente vai percebendo que cada mês é uma nova batalha", ressalta a estilista.

Coisa importantíssima é você ter não só o dinheiro para começar, mas ter também um dinheiro necessário caso as coisas não funcionem maravilhosamente desde o primeiro dia. E, normalmente, elas não funcionam.

"De cada cem empreendimentos que estão sendo abertos, hoje, pelo país afora, quase 60% deles fecharão nos próximos cinco anos", prevê o consultor do Sebrae, Ricardo Tortorella

Quem nasceu para empregado gosta de horários, gosta de planejar o que vai fazer nas férias ou no fim de semana. Quem nasceu para ser dono acha que toda hora é hora de trabalhar, incluindo domingos e feriados.

"Eu durmo por volta de 5h e acordo por volta de 10h e 11h. Isso mexe muito com a vida pessoal. Já fui quatro vezes casado. Normalmente, parece que cada negócio que foi embora foi uma esposa junto. Às vezes a pessoa tem uma idéia, tem um pouco de dinheiro e acha que só um talento ou uma boa idéia é suficiente para abrir o próprio negócio. Mas não é. Você precisa de muita técnica, você precisa de muita informação, precisa de muita pesquisa de mercado. Procure se informar, procure o mercado concorrente. Ter conhecimento, hoje, eu acho que é a grande chave do sucesso", recomenda Aimar.

Não é fácil, mas eles, por vocação, decidiram ser o que são. Muito empregado pensa em trabalhar por conta própria pelos motivos errados: porque não gosta do chefe, porque não se dá bem com os colegas ou porque a empresa não dá oportunidades. É um erro. É tentar resolver um problema criando outro.

Você ainda está em dúvida? Então, é bem possível que você tenha nascido para ser empregado. Quem nasceu para dono não tem dúvidas. Só tem certezas.


Destaques da Loja Virtual
O QUE O CLIENTE QUER QUE VOCÊ SAIBA

O livro apresenta uma abordagem prática, porém, radicalmente nova para as vendas e para o desenvolvimento de novos negócios. A estratégia dessa nova a...

R$35,00