SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 01/11/2001
Autor: Otávio Ferrari Filho
Fonte: Otávio Ferrari Filho

Como se preparar para ter trabalho e renda no futuro

Introdução

Sou da geração em que pessoas eram admitidas em uma instituição, pública ou privada, e lá permaneciam até a aposentadoria. Nos dias de hoje, no Brasil e no mundo, essa máxima não é verdadeira. Surge um dilema. O trabalho que exerço hoje terá valia no futuro? Minha empresa continuará saudável daqui a 10 anos?

Exemplos de profissões e empresas que desapareceram

Em minha juventude, matriculei-me em uma escola de datilografia. Saber datilografar era um requisito no processo de seleção para admissão às empresas. Logo depois, a máquina de escrever UNDERWOOD simplesmente desapareceu com o advento da máquina elétrica IBM. Uma pergunta! O que aconteceu com o datilógrafo e com a escola de datilografia?. Empresas, que não diversificam e não inovam, tendem a desaparecer.

Mais tarde, fui caixa de banco, que somente recebia depósitos e entregava dinheiro com base em documentos previamente aprovados pelo contador do banco. Esse tipo de caixa desapareceu. A função foi enriquecida de atribuições e responsabilidades, transformando-se no que se denomina de caixa executivo.

Até cerca de 3 anos atrás, tínhamos pelo menos um escritório comercial para atendimento de serviços de telecomunicações nas cidades catarinenses com mais de 50.000 habitantes. Eram cerca de 60. Foram todos desativados e todos serviços prestados podem ser solicitados e encaminhados por telefone. O atendente de escritório foi substituído pelo de call center.

A encomenda de cartões de visita, cartazes e de impressos em geral era realizada em gráficas. Hoje, quem tem um computador pode prestar esses serviços. A gráfica existe e existirá para serviços que exijam grandes volumes.

Para obtenção de fotos para carteiras de identidade e passaporte e de família, você se dirigia a fotógrafos profissionais estabelecidos nos centros das cidades. Com o barateamento decorrente de novas tecnologias, as famílias possuem sua própria máquina fotográfica, dispensando o profissional para fotos de família. Assim, as pessoas precisam ir ao escritório do fotógrafo somente para fotos para carteiras de identidade e passaportes. Em decorrência, os laboratórios fotográficos no centro das cidades diminuíram ou estabilizaram. Profissionais que cobrem eventos como casamentos, batizados, formaturas, podem se estabelecer nos bairros para baratear custos operacionais.

Com certeza, essa relação de situações poderia ser ampliada e enriquecida. Vale a pergunta: Estamos atentos às mudanças de costume e de tecnologia que acontecem ao nosso redor? Empresas familiares estão com os dias contados? E os empregos com carteira de trabalho assinada? Haverão incentivos governamentais para promover a criação e desenvolvimento de empresas?


Exemplos de profissões e empresas que estão surgindo

Tradicionalmente, ia-se as próprias empresas prestadoras de serviço de energia elétrica, águas e telefonia para proceder ao pagamento de contas. Depois, passou para bancos. Hoje, foi estendido para casas lotéricas, caixas eletrônicos e pela Internet. No futuro, haverão outros estabelecimentos, próximos de sua moradia, que poderão quitar essas contas. Em decorrência, filas de bancos reduziram-se bastante e vão reduzir mais ainda e, também, os empregos.

Para revelação de filmes de máquinas fotográficas, entregávamos a lojas especializadas e aguardávamos alguns dias pelas fotografias. Hoje, as cidades tem inúmeras lojas para revelação em 1 hora. Sobreviverão com o advento das máquinas fotográficas digitais?

Com a disseminação da informática e ampliação da oferta de computadores a baixo custo, surgem oportunidades para profissionais da assistência técnica. Também, para desenvolvedores de páginas na Internet. Conhecemos bem o papel do arquiteto e do engenheiro civil para obtenção no equilíbrio na construção de moradias funcionais e econômicas. Logo, perceberemos a propriedade da contratação de designers para páginas da Internet.

Também, aqui, poderíamos acrescentar inúmeros exemplos de novas profissões e empresas emergentes. De uma maneira geral, os espaços de mercado tem sido ocupados por empresas comandadas por jovens empreendedores com espírito inovador. Novamente uma pergunta: Estamos sintonizados nas novas oportunidades e potenciais ameaças?

Como manteremos trabalho e renda no futuro?

Propomos quatro etapas para garantir trabalho e renda no futuro:

1.Análise do ambiente externo, identificando oportunidades e ameaças;
2.Auto-avaliação;
3.Avaliação estratégica;
4.Plano estratégico.
5.Análise do ambiente externo

Nessa etapa, deve-se construir uma visão integrada das evoluções possíveis do ambiente externo da organização. Existem empresas que constróem e monitoram cenários. A MACROPLAN Prospectiva & Estratégia é um exemplo.

O objetivo é antecipar oportunidades e ameaças para seu bom desempenho na área de negócios em análise. As oportunidades são tendências externas à organização, que se bem aproveitadas, podem contribuir para seu bom desempenho. As ameaças são tendências, que se não percebidas, podem prejudicar o desempenho.

Recentemente, a Sociedade de Usuários de Informática e Telecomunicações (SUCESU) de Santa Catarina tomou a iniciativa de promover roda de negócios com empresários indianos.

Houveram diversos associados que se manifestaram contrários ao evento por considerarem que a empresa catarinense tem alta capacidade no desenvolvimento de programas de computador. Entendiam, ainda, que a vinda dos indianos poderia ampliar a concorrência aos produtos catarinenses. É um raciocínio e temos que respeitá-lo. Porém, será que não estamos perdendo oportunidade de aprendizagem. Os indianos tem exportado para os Estados Unidos, Japão e Europa. O Cônsul Geral da Índia no Brasil, Deepak Bhojwani, em recente visita a Santa Catarina, afirmou que o mundo está globalizado e não tem mais fronteiras. Tem oportunidades em muitos lugares e a Internet facilita a comunicação A convivência com eles poderia nos ensinar muitas estratégias, já que é também um país em desenvolvimento.

Um outro exemplo! Meu filho Enrico tem sido um empreendedor na implantação e instalação de quiosques, que fornecem produtos que proporcionam vida saudável, como os sucos naturais. Alguns amigos dele reclamam das parcerias realizadas com pessoal de outros estados da federação, pois, consideram que ele não deveria dar chances para sua fixação na Ilha de Santa Catarina. Não seria uma forma de entropia?

Após voltar dos Estados Unidos, ano passado, Anant Murthy e esposa se perguntaram porque o mercado brasileiro não oferecia coxa e sobrecoxa de frango sem osso e sem pele. Este produto era disponível no mercado americano, canadense e europeu. Facilita o trabalho das pessoas que cozinham, especialmente dos gourmets. Usando raciocínio que existem empresas brasileiras que ouvem os clientes, foi apresentada a idéia por e-mail para empresa AGROVENETO. A direção da empresa imediatamente respondeu, informando que haviam pleiteado a aprovação deste produto junto com o Ministério da Agricultura. Naturalmente, a burocracia levou seu tempo e, após um ano, a empresa conseguiu a aprovação e lançou a sua nova linha LEVE. Para a surpresa total do casal receberam e-mail da AGROVENETO informando que o novo produto estaria disponível na rede de supermercados ANGELONI, a partir do 18/06/2001.Visitado o supermercado, lá encontraram o produto e perceberam grande interesse. Com certeza que ouvindo os clientes, as empresas só tendem a lucrar.

Assim, minha recomendação é de abertura para o novo. A oportunidade pode surgir no acompanhamento e avaliação de acontecimentos em outros países e outros estados brasileiros. Até filmes de ficção científica podem ser fontes de inspiração.

Auto-avaliação

Nessa etapa, deve-se efetuar uma análise das características pessoais sob o ponto de vista estratégico. Força é uma condição interna capaz de auxiliar substancialmente o próprio desempenho. Fraqueza já é uma condição interna capaz de prejudicar seu desempenho.

Vejamos o exemplo do sacoleiro. Inicia suas atividades adquirindo mercadorias e vai ao encontro do cliente para revendê-las. Mais tarde, realizadas as compras, comunica aos clientes e estes se dirigem ao seu ponto de venda. Como se percebe, já organizou um cadastro de clientes. O passo seguinte é sair da economia informal, implantando uma loja em um shopping center. Esse tipo de empresa tem sido mais duradoura que aquelas implantadas para ocupação de esposas ou filhos de executivos. A força do sacoleiro é a vontade de ser o próprio patrão. Sacrifica tudo para realizar. Sabe-se que o sucesso é função direta do esforço.

Anant Murthy relata que quando estava na TELEPAR, no ínicio da década de 80, foi o responsável pelo lançamento do Painel dos Usuários cujo objetivo era ouvir a opinião dos usuários. Foi um sucesso para a empresa identificar suas fraquezas e minimizá-las.

Avaliação Estratégica

Do confronto entre análise do ambiente externo e análise do potencial interno, pode-se identificar nossas potencialidades e vulnerabilidades e, em conseqüência, a fonte de inspiração para ações ofensivas e defensivas.

Recentemente, empresas catarinenses, como MATRIX, PARADIGMA e MULTIAÇÃO, romperam com a tradição do empreendedor brasileiro que preserva a empresa pequena para manter sua individualidade e ser dono de seu próprio negócio. As empresas citadas associaram-se a parceiros internacionais e os proprietários tornaram-se executivos da empresa com nova composição societária. Certamente, como executivos tem um salário mais alto que como donos.

Há necessidade de desenvolver um programa de capacitação das instituições parceiras do SINE para atendimento da demanda de trabalho e renda com a finalidade de quebrar a atual relação de oferta de curso destituída de atendimento as necessidades de cada comunidade.

Em suma, os gestores devem respeitar e incentivar o espírito inovador dos jovens dispostos a inovar e assumir os riscos inerentes.

Plano estratégico

Escreva em uma folha de papel, preferencialmente com detalhes, posicionamentos para as seguintes questões:

- O que você quer conseguir?
- O que você já fez até agora?
- Os resultados que já conseguiu até agora?
- Se não alcançou o objetivo, porque acha que isso aconteceu?
- Quais obstáculos ainda estão na sua frente?
- O que mais você pode fazer para superá-los?

Respondidas essas questões, coloque num envelope e mande essa carta para você mesmo. Você terá 4 ou 5 dias para seu subconsciente trabalhar no resultado desejado, e terá uma motivação extra de voltar a trabalhar o objetivo assim que a carta chegar. Experimente - funciona!

Conclusão

Todo cidadão deseja uma vida melhor. É uma pretensão justa e merecida. Porém, nada vem de graça. Deve-se desenvolver esforços para se alcançar objetivos.

Assim, recomenda-se que esteja sempre ligado com o que acontece ao seu redor e promova uma contínua evolução de sua aprendizagem. Dispondo desses elementos, elabore seu planejamento estratégico, conforme proposto acima ou com base em outra metodologia, própria ou de terceiros.


Destaques da Loja Virtual
MARKETING NA ERA DO NEXO

Um livro realista nas análises, corajoso nas abordagens e surpreendente nas propostas que repassa ao leitor. Um guia prático de marketing para fazer p...

R$20,00