SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 15/10/2002
Autor: Gabriela Gemignani
Fonte: O ESTADO DE SÃO PAULO

Como divulgar uma pequena empresa

É ESSENCIAL DEFINIR O PÚBLICO-ALVO

Assim como as grandes empresas estudam seu público-alvo antes de investir em campanhas milionárias, as pequenas também têm de saber para quem se destina sua propaganda, por mais modesta que ela seja. "Só assim é possível determinar que tipo de divulgação vai atingir o consumidor de fato", afirma o consultor de Marketing do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP) Wlamir Bello.

Segundo ele, a melhor maneira de definir esse público é fazer um banco de dados dos clientes. "O pequeno empresário deve se preocupar com uma divulgação segmentada, já que sua captação de público é menor", acredita.

O consultor destaca que é preciso estar atento a esses detalhes antes de investir. "Se o público-alvo for informatizado, por exemplo, como executivos, o e-mail marketing pode ser uma forma de começar a falar com a clientela, pois, tem maior penetração do que uma mala-direta ou telemarketing, além de possuir um custo muito menor. Essas duas ferramentas são úteis quando os clientes são de terceira idade ou adolescentes", afirma.

Para Bello, a melhor alternativa é fazer um mix de instrumentos para abordar o público, envolvendo promoções, panfletos, mala-direta e anúncios em publicações segmentadas. "De acordo com estudos, a mala-direta oferece um retorno de 2% dos clientes, em um período entre oito e dez dias. Já o e-mail marketing conta com 16% de resposta do público-alvo em até dois dias."

Mas ele ressalta que de nada adianta essas ferramentas se elas não forem para um público qualificado a recebê-las. "Não adianta mandar propaganda de esmaltes para um homem, por exemplo, o retorno não será satisfatório", diz.

No caso de os clientes não estarem dispostos a preencher uma ficha cadastral, o que acontece muito, Bello dá uma dica. "É preciso criar um agente motivador. No caso de padarias, por exemplo, o cliente está sempre com pressa, uma solução para que ele forneça os dados pessoais é criar um sorteio. Uma cesta de café da manhã, por exemplo, assim ele irá concorrer e o cadastro já está sendo feito", afirma.


Anúncios- Uma das alternativas citadas por ele são os anúncios em jornais e/ou revistas. "Tente verificar com alguns parceiros a viabilidade de veicular sua mensagem em painéis de anúncios, o que na verdade é um grande anúncio recheado de vários pequenos anúncios, inclusive o seu", diz. Os anúncios, impressos em jornais, dizem os especialistas, são uma boa forma de vender produtos, serviços e, além disso, agregar prestígio à marca do anunciante, coisa que não ocorre com os panfletos, faixas etc.

Entre as soluções mais baratas para a divulgação de pequenos negócios também está a propaganda cooperada. "Essa parceria deve ser feita entre diferentes tipos de comércio. Uma pizzaria delivery, pode, por exemplo, entregar um folheto de uma locadora próxima ao comprador da pizza. E vice-versa. Quando o cliente for retirar um filme, recebe um folheto da pizzaria."

"Outra solução interessante é promover eventos variados, que chamem público.

Uma bicicletaria pode, por exemplo, organizar um passeio no fim de semana e fazer as inscrições na loja."

Os folhetos e brindes também devem ser bem elaborados para serem úteis e despertarem a atenção do cliente. "Uma boa solução é agregar valor ao produto. Uma farmácia pode, por exemplo, fazer um folheto contendo, além de sua propaganda, dicas para não pegar resfriado ou como ter uma alimentação saudável. Assim, o cliente vai guardar o folheto e não jogar fora no primeiro momento", afirma. Vale lembrar que a distribuição desse tipo de mídia depende de autorização de órgãos públicos. É sempre preferível fazer tudo conforme determina a lei.


Cartões-postais - Preocupadas em acertar na divulgação de sua empresa, as sócias Eliana Minillo e Raquel Penteado, da loja de roupas pintadas a mão Stamperia investiram em duas ferramentas distintas. "Decidimos optar por contratar uma Assessoria de Imprensa, para divulgar nosso trabalho na mídia e investimos na confecção de cartões-postais com foto da loja e das roupas", afirma Raquel.

Segundo ela, os cartões são enviados por mala-direta e entregues em universidades próximas à loja. "A partir de agora vamos distribuir em bares e academias, já que nosso público vai desde as adolescentes até mulheres de 45 anos."

Sebrae-SP, 0800-780 202. Stamperia, (0--11) 3044-0269


COMO PREPARAR MALA-DIRETA OU FOLHETO

Uma das opções para quem pretende saber um pouco mais sobre o tema é o livro da Editora Senac Marketing e Divulgação da Pequena Empresa, do jornalista e consultor Rivaldo Chinem. Entre as dicas da publicação destacam-se as sugestões elaboradas por três publicitários americanos de como fazer um texto para mala-direta ou folhetos:

Comece o texto com uma importante e pertinente pergunta, a fim de que o leitor procure a resposta lendo o texto;

Ou, então, declare o benefício principal, isto é, o que seu produto pode fazer pelo leitor;

Dê ao texto um valor jornalístico ou inédito. Não perca seu tempo, nem o do leitor, fazendo-o ler coisas que todo mundo já sabe;

Evite divagações e generalidades. Diga exatamente quanto, quando, como, quem e por quê;

Identifique no texto as necessidades e desejos do consumidor;

Venda vantagens e não coisas;

Escolha os assuntos de grande apelo ao consumidor e concentre-se neles;

Coloque no texto o máximo possível de emoção;

Use argumentos que "aproximem", como "alguma coisa nós temos em comum";

Evite apelos comuns;

Ponha o máximo de interesse humano e personalização no texto, com naturalidade;

Tente fazer um texto cuja leitura se torne agradável;

Utilize texto relevante para o produto ou serviço, livre de "adereços" que possam distrair a atenção do assunto principal;

Se for o caso, use subtítulos com novidades ou curiosidades;

Use estilo vigoroso no final, pois inspira confiança e segurança ao leitor;

Reescreva as sentenças cheias de rodeios até que fiquem claras;

Use tempo presente e singular;

Use verbos na voz ativa;

Evite textos com excesso de adjetivos, advérbios, pronomes relativos e demonstrativos;

Evite vocabulário muito erudito para não parecer pedante nem caia no pecado oposto, de parecer popularesco;

Texto longo não quer dizer, obrigatoriamente, texto ruim. No entanto busque sempre a consisão. Acredite na inteligência do seu leitor. Ele sabe ler nas entrelinhas tanto quanto você.


Destaques da Loja Virtual
EMPRESA DE TELAS DE PROTEÇÃO

Este perfil tem como finalidade apresentar informações básicas a respeito da abertura de uma Empresa de Telas de Proteção. Serão abordados assuntos re...

De R$8,00
Por R$6,00
Desconto de R$2,00 (25%)