SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 24/01/2003
Autor: Diário do Comércio & Indústria
Fonte: DCI

Comércio tem novas armas para driblar o "borrachudo"

Os setores do comércio mais prejudicados pela inadimplência com cheque têm alternativas para diminuir o problema. A avaliação é de profissionais do mercado ouvidos pelo DCI, a partir de pesquisa da empresa de verificação TeleCheque .

No caso dos pré-datados, lembram os especialistas, o risco aumenta proporcionalmente ao número de parcelas. O comerciante deve reduzi-las, portanto, para diminuir o risco.

Também se recomenda atenção ao estado de conservação do cheque. Com isso, é mais fácil identificar adulterações e falsificações.

O comerciante deve pesquisar também os serviços diferenciados das empresas de verificação de cheque. Algumas delas, dizem os especialistas, têm dados sobre o comportamento de consumo do cliente, que ajudam na decisão de aceitar ou não o pré-datado.

Atenção a quem se dá bem

Os especialistas recomendam atenção também aos setores que têm menor inadimplência. Eles podem dar sinais importantes sobre as armas para diminuir o número de “borrachudos”.

O porcentual de cheques honrados é alto, por exemplo, no comércio eletrônico, caindo nos setores do pequeno varejo de cosméticos e farmácias.

Geraldo Monteiro, assessor econômico da Sincofarma (sindicato das farmácias), lembra, no entanto, que o varejo de medicamentos tem inadimplência muito menor do que outros segmentos, se considerados todos os meios de pagamento.

O cliente de farmácias usa muito mais dinheiro e cartões para saldar suas dívidas, diz ele. Os pagamentos com cheque são feitos principalmente via pré-datados.

Internet aproveita vantagens

Leonardo Xambre, diretor da empresa de verificação HouseCheque , explica que os sites de vendas se beneficiam pelo descasamento entre o pagamento e a entrega do produto. Na Americanas.com , o produto é remetido três dias após a empresa acusar o recebimento das folhas. “Nesse delay da entrega, dá tempo de fazer a compensação dos cheques”, lembra ele.

O diretor do Sindicato dos Lojistas de São Paulo, Murad Salomão Saad, reforça a importância da atenção ao número de pré-datados recebidos. “É muito comum a pessoa não ter fundos lá pelo segundo ou terceiro cheque”, pondera.

Inovações a favor do cheque

A discussão, esclarecem os especialistas, ajuda os comerciantes a se precaver contra “borrachudos”, mas não tira a importância do cheque – até porque o pré-datado é a principal forma de crédito, principalmente para a população de menor renda.

Eles lembram também que o volume de cheques emitidos ainda é gigantesco perto das transações feitas com cartão.

Sabendo desse peso do cheque, o mercado começa a mostrar ferramentas mais aprimoradas para ajudar na concessão de crédito.

Leornardo Xambre, da House Cheque, conta que empresas de verificação cada vez mais usam os sistemas de escoragem, isto é, uma espécie de “pontuação” do tomador de crédito.

Por esse método, são considerados não somente informações de caráter restritivo (o famoso “nome sujo”), mas também os hábitos de consumo.


RISCOS E CUIDADOS COM O CHEQUE

- O risco de aceitar pré-datados aumenta proporcionalmente ao número de parcelas.

- Preste atenção ao estado físico do cheque, para detectar alterações que indiquem adulteração.

- A dica é buscar verificadoras de cheque que pratiquem taxas similares ou menores que as bandeiras dos cartões, para o serviço valer a pena.


Destaques da Loja Virtual
TOP PERFORMANCE: A REINVENÇÃO DA EXCELÊNCIA ...

Neste livro, você conhecerá Jim, um representante de vendas disciplinado, mas que perdeu a inspiração. De férias em Londres ele conhece um cavalheiro...

R$45,00