SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 03/02/2003
Autor: Valor Online
Fonte: Valor On-line

O fator humano do empreendedorismo

Muito se fala ultimamente em ser empreendedor, do perfil de empreendedor, e do fato de precisarmos de mais empreendedores no Brasil. Mas afinal, o que efetivamente quer dizer a palavra empreendedor? Como reconhecê-lo e aprimorá-lo? É possível treiná-lo ou ele é inato? São tantas dúvidas... Empreendedor é aquele capaz de definir algo a partir do nada, que enxerga adiante da sociedade. Capaz de inovar e correr riscos. Por muitas vezes, é um revolucionário.

Em alguns casos, acredita-se que o empreendedorismo é um fenômeno cultural, fruto de hábitos, práticas e valores das pessoas. A observação é uma ação muito importante no empreendedor. Parece lógico presumir que pessoas que venham de famílias de empreendedores ou tenham o modelo de pessoas próximas de seu círculo de amizade com esse perfil tenham maiores chances de ser empreendedores de sucesso pelo simples fato de terem fácil acesso à matéria-prima para observar. Por outro lado, pode acontecer que algumas pessoas "despertem" um espírito empreendedor. Estas podem ter sido expostas a cursos, viagens ou a atividades - como a responsabilidade social - que dispararam o interesse de empreender.

É possível aprender a ser um empreendedor. Mas, para isso, é necessária muita dedicação e um método de ensino diferenciado ainda não totalmente concebido e comprovado. O método consistiria em trazer para o ambiente de ensino do aprendiz a cultura empreendedora tão distante das salas de aula, onde a maioria dos alunos tem como sinônimo de sucesso ser funcionário de grandes empresas.

Imaginando-se que o acúmulo de habilidades, know-how, experiência e contatos contribui para a formação do empreendedor, seria justo conceber que um administrador de sucesso será um empreendedor de sucesso? De acordo com o francês Henry Fayol, autor da primeira teoria sobre gestão do conhecimento, "a arte de administrar consiste em planejar, organizar, dirigir e controlar". Na verdade, o empreendedor de sucesso não é somente um excelente administrador. Ele possui características extras e atributos pessoais que, somados a características do ambiente e das relações que possui, permitem a concepção e a concretização de um negócio.

O empreendedor não somente delega e supervisiona as atividades. Ele normalmente se envolve diretamente porque sua essência demanda esse envolvimento. Diferentemente do administrador, que age com cautela e tenta evitar erros e surpresas, o empreendedor se propõe a assumir riscos calculados. Ele não se frustra com seus erros e falhas, mas sim aprende com eles. Serve a si próprio e aos seus clientes, sem ter de prestar contas a seus superiores. Vê a oportunidade de criar algo novo como a principal recompensa e, com isso, ganhar dinheiro. Promoção, status e outras recompensas corporativistas não o seduzem. O administrador é mais voltado para a organização dos recursos, enquanto o empreendedor define contextos.

Enfim, fatores como a cultura, a possibilidade de aprendizado, a formação acadêmica e profissional unidos apontam um empreendedor de sucesso. E, apesar de não serem totalmente determinantes de êxito, estes fatores indicam maiores chances de se obtê-lo. O sucesso, além de ser decorrente de uma combinação de características do empreendedor, é também a combinação do ambiente, do momento e da dinâmica corretos.

Devemos encarar que ser um empreendedor bem sucedido requer muito mais que individualidades. Requer perspicácia para estar no lugar certo, cercado das pessoas certas, no momento certo. E isso não é uma ciência exata. É uma dinâmica humana.

*Marina Mattos é diretora de marketing da Eccelera, holding de investimentos em tecnologia do grupo Cisneros


Destaques da Loja Virtual
LOJA VIVA: REVOLUÇÃO NO PEQUENO VAREJO BRASILEIRO

Ser varejista não é para qualquer um. É uma questão de vocação. Mas não é tarefa simples essa de conquistar e encantar clientes. E, com a globalização...

R$35,00