SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 15/07/2003
Autor: Diário do Comércio & Indústria
Fonte: DCI

Tecnologia própria reduz custos

A Steelinject conseguiu reduzir em 20% os custos de produção e em 50% o de consumo de energia graças a uma tecnologia desenvolvida em parceria com o laboratório de materiais da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) . Com o invento, a empresa pretende deixar de ser importadora para se tornar exportadora de tecnologia.

A patente nos Estados Unidos acabou de ser registrada e está em processo o registro na Europa. No Brasil, a patente já está no Instituto Nacional de Patentes Industriais (INPI) . De acordo com Waldir Ristow Júnior, gerente técnico da Steelinject, a empresa pretende aumentar os seus negócios por meio da venda desta tecnologia para interessadas no exterior.

Segundo Ristow, a tecnologia é uma alteração em uma parte do processo de injeção de pós metálicos. O sistema original foi desenvolvido nos Estados Unidos e trazido para o Brasil pela própria Steelinject.

Originalmente, o pó metálico é misturado a componentes chamados de “ligantes” para ser injetado na forma. Esta parte do sistema é semelhante ao da injeção de plástico. No caso do metal, no entanto, o ligante precisa ser removido por meio de um processo termoquímico, ou seja, uma combinação de solventes e altas temperaturas.

Na tecnologia brasileira, o processo termoquímico foi substituído por um reator de plasma. Com isso, o tempo de produção de uma peça se reduziu de 48 horas para no máximo 12 horas.

Ristow afirma que a vantagem da injeção de pó metálico está na fabricação de peças industriais de alta complexidade. Nestes casos, a simples usinagem da peça aumentaria em muito o seu custo de produção.

No entanto, o pó metálico precisa atender a especificações rígidas para o processo funcionar. o tamanho do grão, por exemplo, precisa estar em torno de 20 milésimos de milímetro. Por causa disto, o material usado pela Steelinject é importado.

Grupo Lupatech

A Steelinject faz parte do grupo Lupatech , sediado em Caxias do Sul. Faz parte do conglomerado a Microinox , fabricante de peças por fundição de precisão, a Valmicro e a Metalúrgica Nova Americana (MNA) , ambas fabricantes de válvulas para petróleo e gás.

Existe também a Lupatech North-American, responsável pela distribuição das válvulas da Valmicro e da MNA no mercado norte-americano.

A participação do faturamento da Steelinject nas vendas do grupo é pequena. No ano passado, o faturamento da divisão foi de R$ 6 milhões, enquanto o grupo faturou R$ 120 milhões. De acordo com Ristow, isso se explica pelo baixo valor agregado da produção dessa unidade em relação às outras divisões.

A Steelinject é fornecedora nacional da indústria automobilística —componentes para freio, embreagem e caixa de câmbio—, de defesa e ortodontia. De acordo com Ristow, estes são setores que precisam de componentes com alta complexidade e baixo valor agregado.

O grau de tecnologia que este sistema exige faz da Steelinject a maior fornecedora de peças produzidas desta forma no País. Segundo Ristow, as outras empresas que dispõem da tecnologia não fornecem para terceiros.

Além disso, exporta para América Latina e Europa. Segundo Ristow, a empresa participa anualmente da Feira Industrial de Hannover , na Alemanha, para ter uma relação privilegiada com este mercado.


Destaques da Loja Virtual
COMO TRANSFORMAR SEU TALENTO EM UM NEGÓCIO DE SUCESSO

Este livro foi elaborado especialmente para aquelas pessoas que sonham em ter o próprio negócio mas não sabem como fazer para ter sucesso. Nele, a au...

R$45,00