SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 27/10/2003
Autor: Valor Online
Fonte: Valor On-line

Oportunidades disfarçadas

Você pretende abrir o próprio negócio, mas faltam idéias? Sua empresa precisa lançar produtos, mas não descobre o quê? Experimente prestar atenção nas suas próprias necessidades, nas pequenas insatisfações do dia-a-dia. Muitas das grandes invenções nasceram de pessoas tentando resolver problemas e insatisfações comuns.

No início dos anos 50, uma família americana viajava de carro pela região de Memphis. Porém, sua viagem foi muito frustrante. Os hotéis próximos das estradas que encontraram eram de baixa qualidade e muito caros. Além de cobrarem diária e café da manhã, pediam um extra para cada criança. O pai da família ficou revoltado e, quando retornou para casa, decidiu ele mesmo lançar um hotel. Um estabelecimento que oferecesse tudo o que ele não encontrou na viagem: conforto por preço baixo e onde as crianças não pagassem hospedagem. Assim, em 1952, foi inaugurado o primeiro Holliday Inn.

Em 1983, no interior do Rio de Janeiro, o engenheiro Alinthor Júnior sofria com a umidade de seu sítio, que lhe causava muita alergia. Para tratar seu problema respiratório, Alinthor visitou lojas e farmácias à procura de algo indicado para o seu caso. Como não encontrou nada, decidiu inventar ele mesmo uma solução. Depois de realizar vários experimentos em seu sítio, ele inventou um pequeno aparelho capaz de eliminar o que lhe causava alergia: mofo, fungos e ácaros. Foi assim que surgiu o Sterilair.

Num determinado dia do século 19, o médico francês René Laennec teve muita dificuldade em ouvir o coração de uma paciente. Como ela era obesa, o método tradicional de encostar o ouvido no peito do paciente não estava funcionando. Procurando uma forma de solucionar o problema, o médico improvisou um canudo usando um papel cartão. Chamou novamente a paciente, encostou o canudo nas costas dela e colocou o ouvido na outra extremidade. Assim, ele conseguiu ouvir um pouco melhor. Depois de desenvolver sua invenção, ele lançou o estetoscópio.

Em 1954, na Irlanda, o executivo Hugh Beaver tinha o hobby de caçar pássaros e se gabava para os amigos de ser um exímio atirador. Porém, durante uma caçada, um bando de pássaros conseguiu escapar da sua mira. Hugh ficou inconformado. Passou a se explicar dizendo que aquela devia ser a ave mais rápida do mundo. Os amigos, claro, não o levaram a sério. Hugh resolveu então pesquisar e viu que nenhuma enciclopédia trazia a resposta para a questão: qual é a ave mais rápida do mundo? Ele, então, para saciar sua própria curiosidade, resolveu elaborar o tal livro. Depois de pesquisar bastante, lançou, em 1954, a primeira edição do Guinness, o livro dos recordes. O nome veio da empresa onde o executivo trabalhava e que financiou o projeto: cervejaria Guinness.

E já que o Natal está chegando, um exemplo relacionado a ele. Na Itália, no final do século 19, um padeiro chamado Tone procurava uma forma de impressionar uma garota. Ele improvisou, usando uma massa de pão e uvas-passas, um novo tipo de pão. Como ele sempre via a menina numa igreja, resolveu fazer imitando o formato da cúpula da igreja. O novo pão conquistou não apenas a garota, mas também as pessoas da região. Em pouco tempo, os moradores chegavam na padaria dele pedindo o "Pane de Tone", que deu origem ao Panetone.

Como você vê, as idéias podem estar na nossa frente, disfarçadas de problemas e desafios do nosso dia-a-dia. Tudo o que precisamos fazer é estar atento. Porque, como dizia Louis Pasteur: "o acaso só favorece a mente preparada".

*Carlos Domingos é sócio-diretor de criação da agência age.
E-mail: domingos@age.com.br


Destaques da Loja Virtual
EMPREENDEDORISMO: DECOLANDO PARA O FUTURO

Glauco Cavalcanti e Márcia Tolotti tiveram uma boa ideia ao criar uma metáfora sobre o voo. Ambos sentiram falta de iniciativas de cidadãos que poderi...

R$35,00