SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 18/11/2003
Autor: Jornal do Commércio
Fonte: Jornal do Commércio

Empresa deve tomar cuidados ao contratar temporários

Em função do aumento da demanda no fim do ano, a contratação de trabalhadores temporários torna-se novamente realidade nas pequenas e médias empresas. Antes de optar por ela, porém, é fundamental tomar alguns cuidados para garantir o bom desempenho do serviço e evitar processos trabalhistas.

Ainda que contratados por tempo determinado, os funcionários temporários têm direitos e, quando as regras são descumpridas, o ônus fica com o contratante.

Ao temporário são assegurados o 13. salário, férias e outros encargos, segundo legislação baseada na Lei 6.019/74. O projeto de Lei de 1998 que se refere ao assunto altera algumas normas, mas ainda não foi votado.

O projeto prevê a ampliação do tempo limite para trabalho temporário. Hoje, segundo o vice-presidente da Confederação Latinoamericana de Empresas de Trabalho Temporário e Atividades Afins (Cleett&A), Ermínio Alves de Lima Neto, a contratação pode ser por três meses, com direito a renovação por mais três.

Além de conhecer as regras, o vice-presidente da Asserttem, lembra sobre a importância do contratante conhecer a idoneidade das prestadoras de serviço.

Das cerca de 3,5 mil existentes no Brasil, apenas 1,2 mil foram recadastradas pelo Ministério do Trabalho e Emprego - ou seja, estão dentro dos padrões trabalhistas e fiscais estipulados pelo Governo Federal.

Para evitar problemas, ele recomenda que empresas contratantes acessem o site do Ministério do Trabalho e Emprego (www.mte.gov.br) para verificar a situação das prestadoras.

No Ministério Público é possível perceber que os empresários ainda desconhecem as regras e não tomam os devidos cuidados ao contratar temporários. A maioria dos processos envolve empresas que optaram por esta forma de mão-de-obra.

O procurador do trabalho do MP, Rodrigo de Lacerda Carelli destaca que o prejuízo recaí sobre o pequeno e médio empresário.

Legislação

Um dos melhores caminhos para evitar os transtornos é conhecer a legislação sobre o assunto.

- Ainda há desconhecimento quanto às regras de contratação, direitos trabalhistas e formação de preço do serviço - diz o vice-presidente da Asserttem, Adalberto Santos Filho.

Para José Ferreira dos Santos, do Grupo de Profissionais Administradores de Serviços do Rio de Janeiro (Grupase), conhecer o prestador de serviço antes de solicitar o serviço minimiza os riscos.

- É preciso avaliar a estrutura da outra empresa, posicionamento no mercado, situação legal, financeira e fiscal, além da trabalhista - completa o representante do Grupo de Profissionais Administradores de Serviços do Rio de Janeiro.

Dicas

Observe o limite de tempo para contratação: três meses.

Verifique os direitos trabalhistas dos temporários.

Consulte o site do Ministério do Trabalho com a lista os prestadores de serviço.

Tenha ciência de que esta é a forma de contratação que mais gera ações trabalhistas.

Procure contratar prestadoras de serviço idôneas.


Destaques da Loja Virtual
EMPRESA DE TELAS DE PROTEÇÃO

Este perfil tem como finalidade apresentar informações básicas a respeito da abertura de uma Empresa de Telas de Proteção. Serão abordados assuntos re...

De R$8,00
Por R$6,00
Desconto de R$2,00 (25%)