SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 01/03/2004
Autor: O Globo
Fonte: O Globo

Como manter saudável a empresa de pequeno porte

Manter uma empresa de pequeno porte pode ser apenas uma questão de planejamento. Pelo menos esta é a base para sustentá-la. A conclusão é do professor Josir Simeone Gomes, coordenador do MBA Executivo em Gestão de Negócios do IBMEC Business School, que elaborou regras práticas para fazer um pequeno negócio dar certo:

— Consciência estratégica é fundamental: do porteiro ao presidente da empresa.

Há dez anos estudando o caso de empresas familiares que quebram, Gomes criou cinco orientações para os micro e pequenos empresários. A primeira é ficar de olho no mercado em que se pretende investir, em especial nos concorrentes. A segunda, saber o momento certo para abrir o empreendimento.

Avaliar se tem conhecimento para tocar o projeto e se capacitar é outro requisito considerado fundamental pelo professor. Assim como garantir que o negócio apresente algo a mais ao mercado. E calcular o fluxo de caixa antes de abrir as portas.

— O maior problema está na falta de capacitação gerencial. Muitos empreendedores se lançam no negócio na base do entusiasmo e do modismo, sem avaliar sua viabilidade — diz Gomes, frisando que mais de 70% das pequenas empresas brasileiras fecham as portas logo no primeiro ano de existência.

Segundo o especialista, o remédio para a falta de expertise é procurar orientação no Sebrae e mesmo em instituições de ensino, preparando-se para avaliar adequadamente as condições do negócio. Outro aspecto apontado por Gomes como chave é saber calcular custo do produto e margem de lucro:

— O brasileiro tem grande dificuldade para calcular isso. Não é só o custo do produto que determina o preço, mas o mercado. Vender muito não significa, realmente, cobrir todos os gastos.

Cerca de 99% das empresas de países do mundo todo são de pequeno porte. Dados do IBGE revelam que, em 2001, 97% das empresas brasileiras tinham até 19 empregados, isto é, eram pequenas. No entanto, continua Gomes, para cada dez empresas criadas em indústria, comércio e serviços, 4,11 foram fechadas, das quais 90% eram pequenas:

— O pequeno empresário brasileiro é um herói. Enfrenta toda a burocracia, sem ter linhas de crédito suficientes.

Segundo o coordenador de MBA, os indicadores mais importantes sobre o sucesso de um negócio são os de natureza não-financeira, como satisfação dos clientes, colaboradores e fornecedores; relacionamento com o governo e suas políticas, além das condições de mercado dos concorrentes. O especialista frisa ainda que o chamado "pós-venda" é essencial, porque cada cliente insatisfeito conta a experiência para, em média, nove pessoas, enquanto o satisfeito raramente comenta com alguém:

— Os compradores têm de estar seguros de que serão bem atendidos, se o produto tiver algum defeito.


Destaques da Loja Virtual
VIRE O JOGO!: A ARTE DE SE REINVENTAR EM MOMENTOS DIFÍCEIS

Por que tantas pessoas e empresas desmoronam diante de dificuldades, enquanto outras usam a adversidade para crescer? Do autor best-seller do The New ...

R$37,00