SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 31/03/2004
Autor: Valor Online
Fonte: Valor On-line

Administre seu tempo e seja muito mais feliz

Administrar o tempo significa encontrar a fórmula da felicidade para a execução de todas as atividades, sem ficar deficitário em nenhuma delas. Como o bordão "qualidade de vida" tornou-se mania dentro dos escritórios, os executivos passaram a acreditar realmente que há outras coisas mais importantes além da carreira nas grandes corporações. Este é momento ideal para se aliviar a angústia extenuante na busca por resultados, índices de produtividade, criação de diferenciais competitivos, e farejar as janelas das oportunidades. Numa época em que a competitividade global determina a capacidade que a empresa terá para sobreviver num mercado de múltiplas escolhas, a racional gestão do tempo resultará em dias menos estressantes, prazos cumpridos e metas alcançadas, em perfeita sintonia da vida pessoal e profissional. Parece fácil, mas não é tão prosaico assim.

Por que está cada vez mais complicado gerenciar a agenda? Como conciliar os compromissos, sem prejuízo de nenhum deles? Com disciplina, foco no trabalho e planejamento, é possível se atingir a excelência sem maiores desavenças com o relógio. Portanto, o segredo é assumir as rédeas da situação e conduzir o processo para se conquistar a autonomia. E, nesse caso, a contribuição da tecnologia, através dos computadores, palm tops e agendas eletrônicas, é ineficaz. Quantas vezes você já deve ter ouvido esta frase: "O meu dia necessita de pelo menos umas oito horas a mais para completar minhas tarefas". Tais lamentações podem ter diversas formas semânticas, mas o conteúdo converge para uma só conclusão: a administração do tempo transformou-se numa arte a ser conquistada.

A primeira atitude é sepultar a sensação de que sempre lhe falta tempo para tudo. Depois, convença-se de que há, sim, tempo para completar todas suas tarefas, das profissionais às pessoais. As 24 horas do dia são mais do que suficientes e, deveriam ser divididos em três partes iguais: oito horas destinadas ao trabalho, oito ao entretenimento e as oito restantes reservadas ao sono. A teoria, no entanto, não se confirma na prática. Estatísticas recentes demonstram que um executivo chega a trabalhar em média 12 horas por dia no Brasil. Dentre as mulheres, a situação é mais preocupante, pois elas ainda encampam a dupla jornada através dos afazeres domésticos. É essencial que se defina os principais papéis que desempenhamos durante o dia para, em seguida, elencar as prioridades e seus respectivos objetivos. O planejamento minucioso é o ponto de partida para um sistema eficiente de administração do tempo.

Este planejamento nada mais que é que organizar a rotina e as informações pertinentes para solucionar as pendências do dia. Organizar as próprios metas requer desenvoltura, responsabilidade, e conhecimento. É imperativo estar no controle de suas tarefas. Trata-se de uma maneira eficaz para ganhar tempo no trabalho e para a família. Não há uma receita de bolo definitiva concebida para resolver essas questões. Cada um tem seus truques, dicas, e tudo é válido para acomodar a questão.

O desperdício de qualquer minuto, porém, tem força para destruir qualquer planejamento. No entanto, esclareço que este plano contempla a regra, jamais a exceção. Os imprevistos devem ser tratados caso a caso. Um exemplo comum na rotina dos escritórios é adiar a execução de uma tarefa para depois. Inicialmente, tal atitude gera conforto. Mas no final do dia, no entanto, o trabalho está lá e você terá de fazê-lo de uma maneira ou de outra. Eliminar os maus hábitos é o passo inicial para liquidar essa dependência nociva que o possui o poder de estagnar ou turbinar as carreiras. É inadmissível perder a autonomia diante desta incompetência para administrar as prioridades. Concentre-se nelas para não se enrolar.

Para começar, não perca tempo com coisas que vão empatar seu desenvolvimento profissional e, no segundo momento, frustrá-lo. Num cenário marcado pelo excesso de informações e acúmulo de tarefa, gerenciar o tempo só dá certo quando o mais importante for feito em primeiro lugar. Porém, aqui há uma armadilha: prioritário não é o mesmo que urgente. Vale ressaltar que o urgente pode incomodar e normalmente não é importante. Já o prioritário conseqüentemente está relacionado com a busca de objetivos e metas que, por sua vez, pavimentam o crescimento e aperfeiçoamento individual. O domínio desta ferramenta passa pela definição que se deseja dar à carreira aliada à vida pessoal. Trata-se do caminho perfeito em busca da felicidade.

*Julio Sergio Cardozo é presidente da Ernst & Young América do Sul.


Destaques da Loja Virtual
EMPREENDEDORISMO NA PRÁTICA

Através da leitura desta obra você conhecerá os vários tipos de empreendedores existentes e entenderá qual tipo está mais adequado ao seu perfil, sabe...

R$35,00