SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 07/04/2004
Autor: Diário do Comércio & Indústria
Fonte: DCI

Licenciamento diversifica oferta de marcas

Mercado brasileiro, que girou R$2,5 bi em 2003, retoma personagens consagrados este ano

Aliado da indústria e do varejo para alavancar as vendas, o licenciamento se consolida no Brasil também como forte estratégia de marketing e posiciona o público infantil como alvo.

Hoje, no mercado de licenciamento, o País está entre os 10 primeiros colocados no ranking mundial. Em 2003, as revendas com marcas licenciadas movimentaram cerca de R$ 2,5 bilhões e, se a economia ficar estável, o segmento prevê crescimento de 5% a 15% para este ano. Há casos de empresas com estimativas mais ousadas, que esperam até duplicar o número de contratos em 2004.

De acordo com a Associação Brasileira de Licenciamento (Abral) , é preciso estabilidade econômica para que as empresas voltem a investir no licenciamento. “Se a situação econômica melhorar, o mercado de licenças será beneficiado, como qualquer outro setor”, afirma Sebastião Bonfá, presidente da Abral.

Segundo o especialista, o mercado envolve 700 empresas licenciadas, com 300 licenças este ano disponíveis e 63 agências.

Para alavancar os negócios neste ano, a tendência do segmento é apostar na volta de personagens de sucesso, como o Rei Leão, Harry Potter, Teletubbies, Shrek e Bob Esponja, dando mais opções para o mercado.

Prova do sucesso do licenciamento de personagens clássicos é o varejo de brinquedos. São cerca de 20 fabricantes no País, que estimam movimentar R$ 1 bi no País. Dos brinquedos comercializados, 60% são de produtos licenciados.

De olho nesse filão, a Imagine Action (IA) resolveu trazer de volta a série Cavaleiros do Zodíaco. Entre direitos, dublagens e remasterização das imagens, a IA desembolsou uma verba superior a US$ 200 mil. O investimento provocou propostas de licenciamento da indústria de material escolar, produtos alimentícios, confecção, calçados esportivos, higiene e artigos para festas. Luiz Angelotti, diretor comercial da Imagine, comenta que o apelo dos personagens levou a fabricante Long Jump a importar, no final do ano passado, 40 mil bonecos dos personagens. Todos foram vendidos no Natal.

Com o sucesso, o desenho — que é veiculado no canal Cartoon Network — está sendo negociado também para entrar novamente na programação aberta. A Bandeirantes está interessada, mas ainda não há nada acertado. “Os Cavaleiros do Zodíaco devem movimentem cerca de US$ 80 milhões no varejo apenas este ano”, contabiliza Angelotti.

Considerada uma das maiores do mercado, a International Trading Consultants (ITC) espera acompanhar a tendência de sucesso do setor este ano e crescer 15%. A empresa está licenciando personagens da Universal Studio (Pica-Pau, Sitting Ducks, Van Helsing, Hulk); DreamWorks (Shrek, Shark Tales); MGA (Bratz, Lil’Bratz, Sugar Planet, Boys); United Media (Precious Moments); Tom Arma (Water Babies, Baby Bugs, Zodiac Babies) e Marvel — maior empresa de histórias em quadrinhos do mundo. Para completar o quadro, as licenças de personagens clássicos, como Garfield e Snoopy, são propriedades exclusivas da ITC para o Brasil.

Neste ano, o Grupo ITC está desenvolvendo um trabalho agressivo para o público infantil. A Baruel aposta no Snoopy para lançar novos shampoos, sabonetes, condicionadores, colônias e loções cremosas. Além dos produtos de higiene, materiais escolares são o alvo dos clientes da companhia. Tanto que a ITC espera ter, na Feira Escolar de 2004, de 30 a 40 propriedades expostas nos estandes de seus licenciados, entre cadernos, fichários, mochilas e miudezas.

Responsável pela licença dos Teletubbies, Thunderbirds e Boobah, personagem infantil carente, a Connect TV & Licensing estima incremento de 15% em novos contratos este ano. Márcio Domingues, proprietário, diz que a aposta são os bonecos dos Teletubbies. Apenas nos últimos cinco meses foram vendidos mais de 80 mil DVDs e fitas VHS dos personagens. “No segundo semestre lançaremos mais seis títulos para vender mais 120 mil cópias até dezembro”, diz.

Com mais de 350 produtos licenciados no País, o Instituto Ayrton Senna (IAS) reforça o conceito de força da marca associada ao nome. O personagem Senninha, único no mundo baseado em um ‘herói nacional’ verdadeiro, é um dos mais apreciados pela indústria e varejo brasileiros. Os produtos ligados à marca movimentaram algo em torno de R$ 20 milhões em 2003. Nos últimos três anos, o licenciamento do personagem cresceu 15% e deve manter esse mesmo ritmo. Os recursos foram todos dirigidos ao Instituto, que já atendeu mais de 2,7 milhões de crianças em 10 anos de atividade.

Licenças para clubes

Criada há três anos, a Pro Entertainment do Brasil se especializou nos clubes de futebol. Hoje, a empresa representa 15 clubes no Brasil e licencia todos os times de São Paulo e do Rio de Janeiro, por exemplo.

Segundo Hernán García, diretor da Pro, já são mais de 100 clientes com licenças no País e a expectativa é dobrar esse número este ano. “Queremos duplicar o faturamento e chegar a R$ 100 milhões em 2004”, declara.

Alguns dos produtos que a empresa trabalha são cartões telefônicos e ovos de Páscoa. Garcia comenta que, com a conquista do campeonato nacional no ano passado, o Cruzeiro possibilitou a venda de 300 mil cartões telefônicos em apenas três dias. A Arcor percebeu a força dos times esportivos e resolveu licenciar as marcas de São Paulo, Palmeiras, Corinthians e Flamengo.

Feira Expolic acontece em maio

Para apresentar as novidades do mercado, a Associação Brasileira de Licenciamento (Abral) criou a Feira Internacional de Licenciamento (Expolic) , maior evento do setor na América Latina. Em sua segunda edição, programada para os dias 12 e 13 de maio no Frei Caneca Shopping , na capital paulista, o evento deve atrair um público de 5 mil pessoas, entre agentes licenciadores, artistas e empresas de todos os setores.
A expectativa dos organizadores é fechar o evento com 35 expositores — 20% a mais do que na edição anterior. Segundo José Roberto Sevieri, diretor do Grupo Cipa , organizador, que pesquisou 83% do público visitante na edição de 2003, o evento superou as expectativas e gerou um aquecimento de negócios de 7%. Paralela à Expolic, acontece a terceira edição do Seminário Internacional de Licenciamento (LIS) . O evento reúne consultores internacionais, agências de licenciamento, licenciados e profissionais do setor para discutir problemas e soluções do setor. O site é .


Destaques da Loja Virtual
A INTERNET COMO FERRAMENTA DE NEGÓCIOS

A publicação aborda os seguintes assuntos: Iniciando a Conexão: história e evolução, Decisão e Planejamento: qual a hora de começar?, e-Marketing: com...

R$20,00