SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 17/08/2004
Autor: Diário do Comércio & Indústria
Fonte: DCI

Brasil começa a transferir tecnologia e a terceirizar

No movimento de aproximação comercial entre Brasil e China, as pequenas e médias empresas nacionais estão descobrindo que, apesar do porte, também podem fazer negócios com o mesmo perfil das grandes.

Terceirização e transferência de tecnologia estão entre as ações em andamento para ampliar a participação dessas empresas naquele mercado.

¿Algumas empresas estão terceirizando a fabricação na China até para conquistar outros mercados além daquele¿, disse Charles Tang, presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-China (CCIBC).

Segundo Tang, uma empresa do Rio de Janeiro, que produz papetes (um tipo de calçado), está preste a fechar sua primeira parceria com uma indústria chinesa para fabricar naquele país. ¿O custo é mais baixo na China. Os empresários deveriam fazer mais parcerias para o fortalecimento das relações¿, sugeriu o dirigente.

A Câmara auxilia seus associados na busca de parceiros no mercado asiático, mediante custos diferenciados por porte de empresa, já que presta serviços.

Transferência de tecnologia

Seria difícil imaginar uma pequena empresa brasileira transferindo tecnologia para os asiáticos.Mas isso está preste a acontecer com a Marko Construções , também carioca. Pelo menos são essas as expectativas da empresa.

¿Esperamos fechar com pelo menos uma empresa chinesa até o final deste ano¿, contou Mauro Lopes, gerente de operacionalização da firma.

A Marko, entre outras atividades, fabrica coberturas metálicas. Já exportou para a China e há indústrias asiáticas interessadas em comprar a ¿fórmula¿.

¿A primeira conversa não foi fácil, eles não queriam assinar nenhum documento de proteção a patente e propriedade intelectual¿, disse Lopes. O negócio foi interrompido.

Com o intermédio da CCIBC, a Marko identificou novos possíveis parceiros e as negociações estão prosseguindo dessa vez.

Os chineses que forem importar a tecnologia para fabricação da cobertura metálica serão licenciadas e poderão contar com prestação de serviços da brasileira para apoio.

Muito terreno à frente

A China se tornou um atraente mercado mundial nos últimos anos. Isso devido aos níveis de crescimento econômico (pouco mais de 9% em 2003) e ao perfil consumidor capitalista que está se formando em sua população diante da abertura política.

O país tem pouco mais de 1 bilhão de habitantes, sendo que 400 milhões de pessoas são de classe média e há 20 milhões de milionários. ¿A classe média chinesa é dez vezes a brasileira¿, ilustrou Tang.

O Brasil tem trabalhado o marketing para ganhar espaço naquele país, por meio das próprias empresas e organização de eventos e missões empresariais.

Mesmo assim, os brasileiros participam com menos de 1% das importações que a China realiza. A corrente de comércio chinesa com o mundo somou US$ 850 bilhões no ano passado.


Destaques da Loja Virtual
DESENVOLVIMENTO INTERPESSOAL - TREINAMENTO EM GRUPO

A obra apresenta modificações que ampliam sua flexibilidade operacional como obra "multiuso" em contextos variados, o que possibilita sua aplicação ar...

R$29,00