SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 20/09/2004
Autor: O Globo
Fonte: O Globo

Ataque virtual,ameaça real para pequenas empresas

Vírus e hackers têm tudo para fazer estragos na rede de computadores das pequenas empresas. Uma pesquisa feita com quatro mil companhias mostra que 87% delas têm sistemas de segurança digital. O problema é que, destas, 63% não atualizam seus softwares antivírus na freqüência necessária para se protegerem de ataques virtuais, informa o estudo da Sophos, fornecedora da área de tecnologia. Assim, as pequenas empresas continuam expostas aos riscos do mundo da internet, que se traduzem em danos no sistema, perda de informações e, em casos extremos, falência.

¿ O que adianta ter um sistema e não atualizá-lo? Nada ¿ diz Gerson Borges, coordenador do MBA em Segurança Corporativa da FGV Management.

¿ A segurança não é mais apenas para os bancos e o governo. Os ataques de hoje podem esvaziar contas bancárias, mudar configurações, apagar arquivos, roubar senhas e usar o computador da empresa para enviar spam sem o seu conhecimento. Então, é importante se prevenir contra esse tipo de ameaça ¿ acrescenta Carole Theriault, consultora de segurança da Sophos, lembrando que um vírus pode arruinar a credibilidade e a reputação da firma diante de parceiros e clientes.

Sai caro para as pequenas empresas investir em sistemas de segurança. Uma estrutura simples de proteção para uma firma com dez computadores custa cerca de R$ 8 mil. Dói no bolso, mas não é só:

¿ As pequenas empresas não se consideram alvos interessantes para hackers e, por isso, ignoram alguns cuidados e não criam políticas de segurança. Falta informação ¿ comenta o professor Borges.

¿Informação é a base do negócio¿

Muitos empreendedores desconhecem como vírus podem entrar em seu sistema, explica Borges. Boa parte deles, dizem especialistas, acredita que os e-mails são a única forma de contaminação de seus computadores. Só que muitos ataques ocorrem através de sites, downloads e troca de arquivos na rede.

¿ Daí, a importância de se criar sua política de segurança. O que vai impedir que um funcionário esqueça de atualizar o sistema e outro insira um disquete sem passar o anti-vírus. Estamos na era em que a informação é a base do negócio da empresa ¿ continua Borges.

Ainda de acordo com a Sophos, 80% das pequenas empresas ouvidas declararam que os spams afetam enormemente sua produtividade. Mesmo assim apenas 28% delas contam com uma solução anti-spam instalada.

¿ Estou certo de que algumas empresas têm consciência de que correm riscos. Mas, ainda assim, faltam recursos e cultura em tecnologia. O gasto nessa área deve ser considerado investimento e não despesa ¿ diz Rodrigo Agia, analista da Módulo Security.

Algumas pequenas empresas já entenderam que é preciso adaptar-se aos novos tempos. A Padrão Sistemas, que produz programas de financiamento, já sofreu ataques de vírus e de hackers . Diante das ameaças constantes, resolveu não arriscar mais e investiu em softwares de segurança.

¿ Ficamos conectados 24 horas por dia e, por isso, estamos bastante vulneráveis ao mundo da internet. Optamos por um programa que se atualiza automaticamente e de linguagem simples ¿ diz Nelson Lourenço, diretor da empresa, que também criou uma política de acessos a sites para cada funcionário. ¿ Não permitimos, por exemplo, acessos a chats e controlamos os downloads .

Como se proteger das ameaças

VÍRUS ETC: Ao ignorar vírus, spams e hackers , as empresas se arriscam a ter arquivos corrompidos, informações perdidas e configurações alteradas. É possível também que uma rede contaminada repasse vírus para outras máquinas, comprometendo a imagem da empresa.

PROGRAMA: Há softwares que combatem vírus e spam , além de evitar a entrada de hackers no sistema. São programas anti-vírus, anti-spam e Firewall, por exemplo. O ideal é optar por softwares que se atualizem automaticamente.

SETOR: Nem todas as pequenas empresas têm condições para estruturar um setor de tecnologia. Em seu lugar, mesmo como consultor, vale a pena ter um profissional responsável pela área de segurança.

ACESSO: Segundo especialistas, as pequenas empresas devem controlar o acesso à internet. É o caso, por exemplo, de bloquear a entrada em sites considerados pouco seguros.

DOWNLOAD: Vale restringir o download . Além da troca de arquivos via e-mail.

E-MAIL: Filtrar e-mails também é uma forma de evitar lixos virtuais e congestionamento no correio eletrônico da empresa.

FUNCIONÁRIOS: É importante mostrar para a equipe que e-mails não são a única porta de entrada para vírus: eles também entram no sistema através de sites, downloads e troca de arquivos na própria rede.

SEGURANÇA: A área de segurança deve incluir cuidados fora do computador. Como guardar documentos confidenciais em local seguro.


Destaques da Loja Virtual
LAN HOUSE

Este perfil tem como finalidade apresentar informações básicas a respeito da abertura de uma Lan House. Serão abordados assuntos relacionados ao merca...

De R$8,00
Por R$6,00
Desconto de R$2,00 (25%)