SEBRAE/SC - Artigos para MPE's

 
  Data Inclusão: 18/07/2005
Autor: A Notícia
Fonte: A Notícia

Como vender o produto é desafio para artesãos

São Paulo - Vender o artesanato é essencial para que o trabalho torne-se uma fonte de renda para quem o produz. Mas assim como há pessoas que têm facilidade para vender o produto, outras precisam de uma forcinha.

O consultor jurídico do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) Paulo Viana indica três formas para o artesão comercializar as peças.

A primeira é quando ele não tem um ponto de venda e depende principalmente de encomendas ou propaganda boca-a-boca. "Nesses casos, o artesão costuma trabalhar em casa", explica Viana.

Outra situação é quando alguns artesãos formam associações para participar de feiras ou exposições. "Nesse caso, o grupo divide as despesas com a manutenção do local onde são feitas as vendas e não fica muito caro para nenhum deles."

A terceira opção é o artesão montar uma loja. "Mas essa é a mais complicada e cara, por isso é menos usual e tem menos chances de dar certo", avalia o consultor do Sebrae. Ele avalia que, para manter uma loja, o artesão tem de agregar outros produtos porque as vendas de artesanato dificilmente são suficientes para pagar os gastos da loja e ainda dar lucro para o artista.

"O preço do artesanato não costuma ser alto, e não é essencial para o consumidor, então é mais difícil garantir um bom volume de vendas", afirma. Isso sem contar que ao abrir uma loja o artesão torna-se comerciante, e como pessoa jurídica tem mais impostos para pagar.

Por isso Viana acredita que a melhor forma de fazer os negócios irem para a frente são as associações de artesãos para participação em feiras e exposições de artesanato. "Essas feiras são muito comuns em cidades turísticas", recorda.

Viana diz que as feiras atraem a clientela pela variedade da oferta de produtos devido à grande quantidade de artesãos expositores. "E, dessa forma, o artesão aparece mais para o público."

Além disso, pode manter a sua clientela de encomendas. "Como ele não precisa ficar o dia todo em uma loja e só vai para as feiras em dias determinados, pode manter sua clientela e ainda ampliá-la nas feiras."

O consultor lembra que o artesão que não tem loja é um trabalhador autônomo, portanto, deve contribuir para a Previdência Social.


Destaques da Loja Virtual
EMPRESA DE TELAS DE PROTEÇÃO

Este perfil tem como finalidade apresentar informações básicas a respeito da abertura de uma Empresa de Telas de Proteção. Serão abordados assuntos re...

De R$8,00
Por R$6,00
Desconto de R$2,00 (25%)