Oportunidades de Negócios

 
  Data Inclusão: 16/02/2006
Autor: Diário do Comércio & Indústria

Franquia busca investidor pela Internet

Método on-line tenta esboçar perfil mais criterioso do novo empreendedor

As empresas que atuam em redes de franquias estão utilizando uma nova ferramenta para selecionar os novos investidores interessados na expansão de suas marcas. Trata-se de um sistema on-line chamado Análise do Perfil Comportamental Profissional (APCP). A metodologia, já aplicada por redes como a Morana , Mundo Verde , Spedini e Café Cancun , além de esboçar o perfil profissional dos futuros empreendedores e concluir quais os mais adequados para gerir os negócios das redes, tem como objetivo reduzir ainda mais a taxa de mortalidade das novas unidades de franchising, que é de 7% nos primeiros dois anos de vida. Esse percentual é pequeno, se comparado ao índice de falência dos negócios independentes, que hoje gira em torno de 50%, de acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Segundo Jorge Eduardo Antunes, sócio fundador da rede Mundo Verde e diretor de expansão da Associação Brasileira de Franchising , a APCP ajuda a definir o perfil econômico, profissional e empreendedor do candidato a franqueador. "A aplicação da análise do perfil comportamental profissional é uma tendência do setor. Antes o critério de seleção dos candidatos se baseava apenas em conversas e entrevistas. Agora, com esse programa personalizado com as características, necessidades e objetivos de cada empresa, fazemos a avaliação de mais de 12 itens pertinentes ao mundo corporativo", explica.

Ele conta que a rede Mundo Verde, especializada em produtos naturais, já aplicou a metodologia on-line em 20 empreendedores. Este ano, a franquia lançou um plano de expansão e projeta a abertura de 10 unidades nos próximos cinco anos. Hoje, a empresa possui 113 lojas em 11 estados.

O investimento para quem tem interesse em se tornar empresário da rede é de aproximadamente R$ 230 mil (loja de 70 metros quadrados).
Outra marca que já utiliza a análise do perfil comportamental profissional é a Spedini, rede de restaurante especializado em culinária italiana. A empresa implantou o sistema recentemente para desenvolver um plano de expansão em São Paulo.

De acordo com o gerente comercial da companhia, Romano Fressato Neto, a capital paulista terá até 2007 cerca de 20 unidades da marca. Alguns franqueadores já foram selecionados e outros passarão pelo teste. "Essa ferramenta sempre foi utilizada nas empresas de comércio. Mas agora se tornou indispensável para nós que atuamos no franchising", diz.

Ainda segundo o gerente da rede, o interessado em se tornar empresário do setor não precisa ter somente dinheiro para investir. Tem de possuir também formação cultural, técnica e noções de administração de empresas. Todos esses conhecimentos são fundamentais para o sucesso do empreendimento.

Para se tornar "parceiro" da marca Spedini, o investimento médio é de R$ 210 mil para lojas em shoppings e R$ 400 mil para unidades em pontos de rua.

Seleção pela Internet

A diretora da Vecchi & Ancona , Ana Vecchi, consultora especializada no sistema de avaliação profissional, salienta que uma das vantagens do sistema ser on-line é a possibilidade de a empresa poder fazer a seleção via Internet em vários estados do País simultaneamente. "Com base em questionários objetivos sobre situações práticas de trabalho, chega-se ao patamar quantificado do perfil profissional, do estilo gerencial predominante e da adequação à função. Apresentadas em gráficos de fácil interpretação, as análises têm margens de erro mínimas e vêm acompanhadas de relatórios comparativos", afirma a consultora.

A rede de franquia Café Cancun, por sua vez, também adotou a análise do perfil comportamental e profissional para escolher melhores os seus "parceiros". A gerente-geral da rede, Sheyla Marcondes, explica que a empresa ao realizar o teste de seleção estabelece alguns critérios de aprovação.

Segundo ela, quem está concorrendo a uma unidade pode ter um desvio de erro na análise de 10% para mais ou para menos. Isso numa escala de 1% a 100% na hora do teste.
"Antes de utilizarmos a APCP levávamos cerca de seis meses para conhecer e traçar o perfil do profissional que iria trabalhar conosco. Hoje, nossa seleção é on-line e os resultados em tempo real", diz Sheyla, calculando que mais de 10 franqueados serão submetidos à avaliação profissional este ano.
O interessado em se tornar franqueado da rede Café Cancun, que abrirá duas novas lojas em Goiânia e João Pessoa, terá de fazer um investimento médio de R$ 1 milhão.

O grupo que administra as redes Jin Jin - de fast-food chinês - hoje com 40 unidades no País, e a rede Morana, que atua no segmento de acessórios femininos, hoje com 60 lojas, por sua vez, também adotou a análise do perfil comportamental profissional.

A coordenadora de treinamento e recursos humanos da companhia, Selma Brega observa que a utilidade do sistema não diz respeito apenas à expansão, mas também ao relacionamento com os franqueados. "O franchising exige esse conhecimento mútuo e nós temos condição até mesmo de focar o treinamento em virtude de competências específicas", diz ela.

Segundo a consultora Ana Vecchi, embora seja nova no segmento franchising a utilização da ferramenta de avaliação já é possível detectar os benefícios do sistema. Com base em questionários objetivos sobre situações práticas de trabalho, chega-se ao patamar quantificado do perfil profissional, do estilo gerencial predominante e da adequação à função. "O processo de seleção de um franqueado implica uma série de prerrogativas, mas a capacidade de gerenciar o negócio vem em primeiro lugar. Com o uso desta ferramenta de gestão, podemos evitar o risco de uma escolha inadequada para as companhias", diz.

Fonte: DCI


Destaques da Loja Virtual
TALENTOS INOVADORES NA EMPRESA

Você sabe o que é empreendedorismo corporativo? Qual o papel dele na economia e no desenvolvimento econômico de um país, de uma organização, na vida d...

R$43,00