Oportunidades de Negócios

 
  Data Inclusão: 30/05/2006
Autor: Jornal do Commércio

Empresários devem investir em combinações inusitadas

Na esteira da vida saudável

Acrescente preocupação com o bem estar e com uma vida mais saudável cria mercado para a abertura de negócios focados em produtos naturais. Neste sentido, são abertas cada vez mais casas de suco, que misturando bebidas inovadoras com lanches rápidos, fazem sucesso em todos os pontos do País. De acordo com dados do Sebrae, as casas de suco crescem 5% por ano. Com R$ 30 mil, afora o ponto comercial, é possível abrir uma pequena loja.

Sucos de frutas e de polpa, vitaminas e cremes de açaí são os produtos mais procurados nos estabelecimentos, mas o empresário deve dar atenção especial à comida oferecida, que também deve seguir a linha saudável e natural. O Sebrae recomenda que o empreendedor não inclua bebidas alcoólicas no cardápio, para não descaracterizar o negócio.

Além disso, é necessária atenção a estoques de frutas in natura, que devem ser compradas duas ou três vezes por semana. Para o bom funcionamento de uma pequena loja, são suficientes quatro liqüidificadores domésticos, dois espremedores industriais de frutas, duas geladeiras domésticas e um freezer vertical. O número de funcionários varia de acordo com o tamanho da loja, mas, para começar, cinco empregados conseguem fazer bem o serviço.

Qualidade e novos produtos são essenciais
Os sócios Carlos Alberto e Sérgio Couto, do Bibi Sucos, tradicional rede do Rio de Janeiro, dizem que o sucesso de uma casa de sucos não é fácil. Para ter êxito, trabalham para manter a qualidade, investindo no lançamento de sucos, no bom atendimento, em limpeza e qualidade. Nas cinco lojas localizadas no Leblon, Barra, Jardim Botânico e Icaraí, em Niterói, os freqüentadores são pessoas que se preocupam em se alimentar bem. Uma das dificuldades enfrentadas pelos empresários é a inovação constante do cardápio, já que a matéria-prima, a fruta, não pode ser inventada. "Fazemos pesquisa, viajamos para trazer novos ingredientes e lançamos sanduíches. Estamos investindo mais em acompanhamentos como iogurte, hortelã, guaraná e suplementos alimentares", explica Carlos Alberto Couto.

A mistura também é a arma da Golden Sucos para conquistar novos clientes. Os 20 sucos básicos são reinventados ao gosto do cliente. A receita original dos sanduíches, omeletes e saladas também pode ser trocada se o consumidor quiser, explica a sócia da casa, Lúcia Castro. Como a loja fica em frente à praia da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, Lúcia recebe turistas e nativos na mesma lanchonete. "Os estrangeiros adoram misturar ingredientes e experimentar frutas. Já os turistas nacionais pedem a abertura de lojas em outros estados. Mas as casas de suco têm mais a cara do Rio", acredita.

Segundo o Sebrae, as vendas das casas de suco chegam a cair 40% nos meses frios. Por isso, é recomendado incluir opções de bebidas quentes no cardápio. Já o consultor de varejo Ulysses Reis, da Treinasse, acredita que a melhor alternativa é lançar sucos no Inverno, sempre informando as vantagens para a saúde em consumir a bebida. Ele aconselha que o empreendedor ofereça de 20 a 30 sucos fixos e faça lançamentos sazonais, pois assim irá melhorar a rentabilidade do negócio. Reis lembra que o consumo de suco varia muito de estado para estado. "No Pará, o suco é quase uma instituição. Em Belo Horizonte, já não tem a força do Rio. Varia muito de cultura para cultura. Algumas pessoas preferem fazer o suco em casa. No Rio, abrir uma loja de sucos tem uma grande vantagem em relação a outros negócios".

Apesar de a bebida não ser tão tradicional na capital mineira, a casa de sucos Tosco Burguer faz sucesso com os mineiros por oferecer mais de 132 tipos diferentes de suco, como de grapefruit (tomelo)) e de blueberry, plantas nativas dos Estados Unidos e Canadá. O dono do negócio, Lorival Dornele, diz que faz pesquisas e sabe em que época do ano a fruta estará no Brasil. Para acompanhar, a loja oferece mais de 40 tipos diferentes de sanduíches, alguns com até 50 itens.

Bastante freqüentado por estudantes de cursos pré-vestibular vizinhos, Dornele diz que não tem redução de vendas no Inverno, já que nesta época do ano, o faturamento é compensado com a venda de sanduíches. Há 14 anos no mercado e fazendo sucesso, o empresário está formatando sua franquia com ajuda do Sebrae para lançá-la em agosto. A previsão de investimento inicial é R$ 85 mil.

Raio X

Casa de suco

Investimento: R$ 30 mil

Capital de giro: R$ 9 mil

Faturamento médio mensal: R$ 20 mil

Área: 50 metros quadrados

Número de funcionários: 5

Risco: médio. Pode ser reduzido dependendo de qual cidade for instalada a loja. Se for Rio de Janeiro ou Pará, que já têm tradição em consumir suco, o risco fica mais baixo, avalia Ulysses Reis, da Treinasse Consultoria.

SERVIÇO

Bibi Sucos, 0xx-21-3204-1404
Golden Sucos, 0xx-21-3325-7656
Tosco Burguer, 0xx-31-3261-9898
Treinasse, 0xx-21-2267-9454

Fonte: Jornal do Commércio


Destaques da Loja Virtual
A NOVA GERAÇÃO DE EMPREENDEDORES

O livro descreve o ambiente que o empreendedor vivencia em seu dia a dia a partir dos diversos desafios que enfrenta. Voltado a empreendedores inician...

R$32,00