Oportunidades de Negócios

 
  Data Inclusão: 11/09/2006
Autor: Diário Catarinense

Festa infantil: diversão e lucro

Quem tem filhos sabe: festa de criança dá muito trabalho. Mas não necessariamente para os pais. Em Santa Catarina, o mercado de festas infantis dobrou nos últimos dois anos.

São cada vez mais opções de serviços e profissionais que garantem tranqüilidade às famílias. E público não falta: 38% da população brasileira, ou seja 55 milhões de pessoas, tem menos de 14 anos. Em SC são 2,2 milhões. Nas empresas especializadas, o público infanto-juvenil representa mais de 50% da movimentação e, em alguns casos, até 100%. Este ano, foi realizada a primeira edição da Feira Festa de Criança. Eram esperadas 7,5 mil pessoas e mais de 10 mil compareceram.

Sabrina Alves Rodrigues, organizadora da feira, conta que 50% dos espaços para a segunda edição já foram comercializados.

Por envolver muitos serviços, o setor é grande gerador de trabalho e renda. As casas especializadas se encarregam de todos os detalhes, mas a atividade exige a participação de vários terceirizados, desde quem elabora os convites e as lembrancinhas, até os decoradores com balões e temas infantis, passando por salgadeiras e doceiras, além de garçons, copeiros, recreacionistas, fotógrafos e animadores.

- Os pais querem comodidade - diz Juliana Costa Modro, proprietária da CaraMellada, empresa de animação que gera trabalho para oito pessoas nos finais de semana.

Fotógrafo investe em diferencial

Fotógrafo profissional, Fabiano Ribeiro da Silva prefere trabalhar com crianças. Ela ainda atende festas de casamento, mas em dois anos pretende focar suas lentes única e exclusivamente nos pequenos.

Segundo ele, o trabalho é mais prazeroso e são poucos os fotógrafos que têm paciência e jeito com crianças. Atualmente, as festas infantis, para as quais faz banners, convites, lembrancinhas e álbuns personalizados de fotos, garantem 70% dos seus lucros.

- Tenho uma equipe de cinco pessoas para dar conta das parcerias com as casas de festas.

Com a difusão das digitais, foi preciso apresentar diferenciais para se manter no mercado, como montagens e painéis gigantes.

Balões ganham novas formas e garantem beleza

O mercado de festas infantis está cada vez mais pulverizado. O alerta é da empresária Jesabel Fortkamp, proprietária da Fábrica de Balões, especializada em decorações com balões, que tomam as mais diversas formas, desde cenários, túneis, arcos até os bichinhos prediletos das crianças, como Nemo, ------ e Bob Esponja.

Segundo ela, que opera há oito anos no mercado catarinense, quando o segmento começou a se profissionalizar apenas uma pessoa centralizava todas as funções, o que demandava muito tempo para organizar uma festa.

- Hoje, dobrou a oferta de profissionais e empresas, o setor ficou mais ágil, mas isso pulveriza o mercado. Há mais serviços disponíveis e é preciso buscar os clientes. Para a Fábrica de Balões, as festas de crianças representam 50% do faturamento, mas atendemos também empresas.

A diferença é que, enquanto o segmento empresarial está parado agora, as festas infantis estão em crescimento - afirma.

Com quatro funcionários fixos, Jesabel chega a contratar entre quatro a seis pessoas como freelancers para montar as festas. Num mesmo dia, é capaz de montar até oito eventos.

A taxa de ocupação dos finais de semana é de 100% até o final do ano.

Doceira emprega 15 pessoas

As festas de crianças garantem mais de 50% das vendas da doceira Patrícia Goedert. O negócio cresceu tanto que já envolve toda a família: 15 profissionais.

Enquanto Patrícia se encarrega dos bolos artísticos, uma cunhada faz o atendimento aos clientes, os pais produzem as formas, o marido ajuda com os salgados e auxiliares dão conta de todos os pedidos.

Patrícia diz que sempre teve mão para fazer doces e trabalhou muito com pintura. Hoje, alia as duas habilidades para fazer bolos temáticos, artísticos e modelagem em doces e até caricaturas de crianças em açúcar. Há oito anos no mercado, ela conta que o negócio vem crescendo mais nos últimos três anos.

- Há maior investimento nas festas infantis, tanto da parte de quem quer fazer a festa quanto das empresas que organizam os eventos. A vantagem de trabalhar com crianças é que a gente acaba acompanhando o crescimento delas. Tenho clientes para quem trabalhei desde o batizado até os sete anos. Uma delas já me contratou para fazer uma festa de R$ 6 mil em fevereiro do ano que vem.

Com o crescimento do mercado, Patrícia resolveu investir em novos produtos, como kits de lanchinhos para as festas nas escolas.

Finais de semana lotados até o final do ano

Ao procurar um local para fazer a festa da filha há dois anos, Gabriela Bailom descobriu um nicho de mercado. Ela constatou que existiam opções em Florianópolis, mas buscava um diferencial que não encontrou naquele momento. Empreendedora, Gabriela tratou de criá-lo, ao lançar a casa de eventos MegaFestas.

Segundo ela, de dois anos para cá, o setor cresceu muito no Estado. Ainda em 2004, ao pesquisar na Internet para ver as opções nos grandes centros, Gabriela criou um conceito adaptado hoje à MegaFestas.

- Tentamos criar o serviço mais completo, porque havia mercado em Santa Catarina. Montamos o buffet e a casa, com brinquedos e muito espaço. Mas como o cliente sempre quer mais, utilizamos os serviços de terceirizados. Temos muitas parcerias com profissionais especializados em atender o público infantil - conta.

Gabriela estima que, no último ano, o setor tenha crescido em torno de 30% no Estado, tanto na procura por festas, quanto na oferta de serviços e fornecedores. A movimentação garante uma taxa de ocupação de 98% nos finais de semana na MegaFestas até o final do ano.

Vagas surgem apenas com as desistências de última hora

- Na verdade, não temos nem sequer um final de semana vago, mas sempre há alguma desistência em cima da hora. Por conta disso, criamos pacotes diferenciados para estimular a utilização da casa em dias úteis.

A média de ocupação nos dias de semana também subiu: 60%. Uma festa na MegaFestas pode custar, com todos os serviços, desde R$ 1,4 mil até R$ 4 mil, para cerca de 40 pessoas.

Além de oferecer a casa e a infra-estrutura, Gabriela reúne um time de profissionais.

- Em alguns casos, dependendo do tamanho da festa que fazemos, pode chegar a 20 pessoas envolvidas diretamente. Mas a média, é de sete a oito profissionais para operacionalizar a festa, fora os fornecedores - conta.

Empresa cuida do convite à lembrancinhas

Quem acha que cerimonial é coisa de adulto está enganado. A D&D Eventos, empresa de organização de festas infantis, cuida de todos os detalhes, desde o convite até a lembrancinha.

A D&D confere personalidade às festas , conforme a proprietária Daniela Zanatta. Mãe de dois filhos, ela sentiu a carência do setor e resolveu apostar num diferencial.

- Nosso carro-chefe são as festas de criança, mas fazemos eventos empresariais também. No nicho infantil, há expectativa de crescimento. Houve acréscimo significativo nos serviços, mas ainda há potencial para muito mais.

Acho que existe uma carência de locais para eventos em Florianópolis - diz.

Um dos diferenciais das festas produzidas pela D&D é que não há limitação de horários, enquanto a maioria dos buffets fazem festas de três horas de duração.

A empresa também se preocupa com o atendimento ao adulto, uma vez que são parte integrante, e muitas vezes, como nos casos de aniversários de 1 ano, a maioria do público.

A D&D tem equipe própria, mas precisa contratar freelancers quando o evento é muito grande. Em festas para 100 pessoas, por exemplo, no mínimo 20 pessoas trabalham entre a montagem e a operacionalização do evento, que pode custar entre R$ 2,5 mil e R$ 3 mil.

Alimentação é ponto forte nos eventos

Durante a montagem de uma festa, vários fornecedores entregam seus produtos nas casas especializadas. Desde os decoradores, como Léa Lohn, da empresa Sabor de Festas, até a alimentação, como salgadinhos e bolos e o diferencial Hamburguito, criado por Lisânia Pohlmann.

Léa pesquisou o mercado antes de comprar, há dois anos, uma empresa com atuação de 16 anos em SC. A Sabor de Festa oferece várias temáticas, como Hello Kitty, para decoração de ambientes.

- Temos um arsenal de decoração, mas se o cliente pede a gente faz novidades. Atendemos também os colégios. Uma festa simples custa R$ 250, mas conforme a decoração, pode chegar a R$ 2mil.

Lisânia trouxe de Porto Alegre a idéia de produzir pequenos hambúrgueres, que representam 90% da movimentação da sua empresa, a Hamburguito. Os contatos iniciaram com as casas de festas, com quem tem parcerias.

Funcionária da MegaFestas, Cristiane Marques é responsável pela confecção das lembrancinhas, toalhas e enfeites de mesa. Durante a festa, ela também ajuda no monitoramento das crianças.








Fonte: Diário Catarinense


Destaques da Loja Virtual
A INTERNET COMO FERRAMENTA DE NEGÓCIOS

A publicação aborda os seguintes assuntos: Iniciando a Conexão: história e evolução, Decisão e Planejamento: qual a hora de começar?, e-Marketing: com...

R$20,00