Oportunidades de Negócios

 
  Data Inclusão: 26/05/2008
Autor: A Notícia

Aposta lucrativa no interior

Após estudar em Blumenau, filhas de produtores rurais voltam para o campo e abrem um negócioEm Massaranduba, duas jovens contrariaram a lógica do campo. Enquanto boa parte das novas gerações não vê a hora de sair do interior para morar, estudar e trabalhar em cidades maiores, Andreia Michelluzzi e Andreia Millbratz, as duas com 23 anos, resolveram ficar no lugar onde nasceram, realizando um trabalho prazeroso e lucrativo.

Há três meses, além de amigas, elas são sócias na empresa que abriram. Com a parceria da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Epagri), implantaram uma fábrica de defumados e embutidos.

As coincidências entre as duas não ficam só nos nomes e na idade. Elas são filhas de agricultores do interior de Massaranduba e moram na Estrada Geral do Rio Bonito. Cresceram e estudaram juntas a faculdade de administração e marketing no Centro Universitário Uniasselvi, de Blumenau. A partir da experiência adquirida nos estudos, surgiu a idéia de abrir o próprio negócio.

Depois de um ano e meio de pesquisas de mercado para identificar a maior necessidade da região, as garotas decidiram pela industrialização de embutidos. A Epagri ajudou a elaborar o projeto e a encaminhar as licenças necessárias. Elas já estão no terceiro mês de atuação, atendendo às cidades de Blumenau, Massaranduba, Jaraguá do Sul, Schroeder e Guaramirim. A venda já atinge 2 mil quilos por mês e a previsão é aumentar para 5 mil quilos até o final do ano.

O projeto chamou a atenção da Epagri. Segundo o engenheiro agrônomo Hector Silvio Haverroth, a iniciativa é inédita na região. "Geralmente, são os mais idosos que permanecem no interior. O mais interessante é que, além de jovens, elas iniciaram com planejamento e dentro dos padrões exigidos pelos órgãos competentes. O retorno já é notado pelo reconhecimento no mercado", destaca Haverroth.

De acordo com a lei

Os produtos têm a supervisão de técnicos, mantendo o padrão exigido pelo Serviço de Inspeção Estadual (SIE). A compra das carnes precisa ser de empresa que esteja de acordo com as exigências do SIE.

Oportunidade de crescimentoA influência dos pais foi um dos motivos que fizeram as jovens se dedicarem a uma atividade no meio rural. Andreia Millbratz cresceu ajudando o pai no abatedouro de suínos e bovinos da família. Viu no interior a oportunidade de crescer profissionalmente. "Durante a faculdade, pensei que poderia trazer novidades para o campo, como mais tecnologia e higiene", destacou. Andreia Michelluzzi percebeu que não precisava disputar espaço no mercado concorrido das grandes cidades. Sempre estudou pensando em abrir o próprio negócio. "Foi possível criar um negócio dentro do nosso espaço e permanecer aqui com grandes perspectivas de crescimento."

Uma das maiores preocupações foi com a qualidade e a higiene no manuseio dos produtos. A iniciativa foi reconhecida durante a inauguração da sede. A empresa foi eleita pela Cidasc como uma das estruturas mais amplas e modernas do Estado na área de industrialização de embutidos.

Epagri na região
Para mais informações, entre em contato com um dos escritórios abaixo:

Corupá
Rua Jaraguá, 100
Fone: (47) 3375-2216
emcorupa@epagri.sc.gov.br

Guaramirim
Rua 28 de Agosto, 2042
Fone: (47) 3373-1999
emguaramirim@epagri.sc.gov.br

Jaraguá do Sul
Rua Walter Marquardt, 623 - sala 9
Fone: (47) 3370-7871
emjaraguadosul@epagri.sc.gov.br

Massaranduba
Rua 11 de Novembro, 3.691 - sala 1
Fone: (47) 3379-1140
emmassaranduba@epagri.sc.gov.br

Schroeder
Rua Marechal Castelo Branco, 3647
Fone: (47) 3374-1577
emschroeder@epagri.sc.gov.br

Empréstimos ajudaram a abrir negócioO investimento com a fábrica de embutidos foi de R$ 70 mil. Parte deste valor foi obtido por meio de dois financiamentos do Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf), do governo federal, e do Fundo de Desenvolvimento Rural e Agropecuária, do governo do Estado. Com o primeiro, elas conseguiram R$ 25 mil e com o segundo, mais R$ 9 mil. O restante foi dinheiro próprio. Terão prazo de oito anos para pagar.

A produção artesanal tem duas linhas de alimentos. Na de defumados, estão as lingüiças puras, salames tipo italiano e duas novidades no mercado: as lingüiças de frango e com ervas. Na linha frescal, além das lingüicinhas suínas e de frango, três novidades estão sendo bem aceitas. São as lingüicinhas de frango com queijo ou ervas e a de cordeiro.

Andreia Michelluzzi é responsável pela parte administrativa, incluindo vendas, entrega dos produtos e marketing. Andreia Millbratz cuida da produção, embalagem e expedição dos produtos. Elas têm um funcionário.

*Os textos aqui apresentados são extraídos das fontes citadas em cada matéria, cabendo as fontes apresentadas o crédito pelas mesmas.

Fonte: A Notícia


Destaques da Loja Virtual
OPORTUNIDADES NEGÓCIOS E EMPRESAS: COMO DETECTAR E APROVEITAR OPO

A partir das experiências do autor, Oportunidades, negócios e empresas esclarece as dúvidas mais recorrentes do universo administrativo e empresarial....

R$28,00