Oportunidades de Negócios

 
  Data Inclusão: 15/01/2002
Autor: Jornal do Commércio

Pastéis de todos os sabores

Com R$ 40 mil é possível aderir a franquias, que apostam na diversidade

Abrir pastelaria é negócio de risco mínimo para quem decide investir tendo o respaldo de uma marca consolidada. As franquias deste segmento apresentam rentabilidade satisfatória, apesar da forte concorrência. Oferecer variedades de sabores é uma das estratégias para conquistar mercado. No entanto, sem um ponto comercial adequado e instalações apropriadas ao bom atendimento, a pastelaria não consegue fidelizar a clientela.

Consultor do Sebrae/RJ e da HC Lopes Consultoria, Haroldo Caser afirma que a boa aceitação do produto pelo público reduz o risco do investimento, considerado mínimo pelo consultor.

Uma das opções de franquia é a Pastello, que surgiu no Rio em 1989 e hoje reúne 21 lojas no País. Destas, cinco estão no município. A expansão é feita com cautela, após estudo de viabilidade do ponto comercial e perfil do investidor. A empresa não faz restrição às lojas de rua, mas não esconde a preferência pelos shoppings, que facilitam a avaliação sobre a capacidade do
negócio.

Crescimento sustentável

- Adotamos a política do crescimento sustentável, expandindo progressivamente, sem atropelos, porque a meta da empresa é que o franqueado tenha segurança de rentabilidade e invista em mais de uma franquia. Como o Rio agrega muitas opções de marcas fortes de fast food, redobramos a atenção quando examinamos uma nova proposta para franquia - observa Daniel Hartz, consultor de marketing da rede.

A Pastello entrega ao franqueado o caldo de cana, a massa dos pastéis e os recheios prontos. Sucos e produtos acabados, como refrigerantes, podem ser adquiridos fora da Central de Compras. A rede faz questão de oferecer novidades aos clientes, estratégia para conquistar a fidelidade dos consumidores, o que a faz investir permanentemente em lançamentos.

A Pastelândia, fundada em São Paulo, em 1988, entrou no sistema franchising em 1992, mas somente há cerca de cinco anos introduziu outros produtos nas lojas, que hoje vendem, além de 50 tipos de pastéis e caldo de cana, pizza, massas italianas, grelhados e batata frita. "A variedade é um atrativo a mais", justifica a diretora comercial da rede, Vassiliqui Angourakis.

Opção pela segurança

Depois de exercer cargos executivos durante 19 anos em duas agências de publicidade, Everton Naves, decidiu investir em negócio próprio e optou pela franquia, modalidade que traz o suporte de sistema comercial estruturado. "Precisava dessa segurança para iniciar uma atividade totalmente nova. Investi na época, cerca de R$ 80 mil, dinheiro que recuperei ao fim de dois anos. Minha venda diária de pastéis é de, aproximadamente, 100 unidades. Não posso dizer que estou ganhando mais do que quando atuava como publicitário porque tinha cargo executivo, mas não é muito diferente", compara.

Na Pastelândia, a quantidade de sabores é determinada pelo franqueado, na medida em que avalia os que mais têm saída na loja. No Nordeste, por exemplo, o recordista de venda é o pastel de carne seca, uma sugestão feita por um franqueado local e que acabou sendo adotada em toda a rede, com unidades nos Estados Unidos e uma a ser inaugurada este ano em Portugal.

A saturação do mercado mineiro fez com que a Fujiyama, criada há 17 anos, voltasse os olhos para a região Sudeste, com especial interesse no Rio de Janeiro. A exemplo de outras franquias, a rede de pastelarias tem central de fornecedores e não abre mão do recheio pronto, caldo de cana e massa padronizados.
A empresa exige dedicação integral ao negócio, o que significa que o operador não pode entregar a administração nas mãos dos empregados.

SERVIÇO
HC Lopes Consultoria, 2509-8034

RAIO X

>> PASTELLO
Investimento inicial (excluído o ponto comercial): R$ 60 mil (obras, equipamentos, treinamento e estoque)
Taxa de Franquia: R$ 15 mil
Taxa de Royalties: 5% sobre faturamento bruto
Taxa de Publicidade: 3% sobre faturamento bruto
Área: 25 a 40 metros quadrados
Funcionários: cerca de dez
Faturamento médio mensal: R$ 25 mil
Telefone: 2543-3061
Risco do negócio: mínimo, na avaliação do consultor do Sebrae e da HC Lopes Consultoria, Haroldo Caser.

>> PASTELÂNDIA
Investimento inicial (excluído o ponto comercial): R$ 40 mil a R$ 80 mil (taxa de franquia, montagem da loja e estoque)
Taxa de Royalties: 5% sobre faturamento bruto
Taxa de Publicidade: 3% sobre faturamento bruto
Área: 30 a 50 metros quadrados
Funcionários: 11
Faturamento médio mensal: R$ 15 mil a R$ 25 mil
Telefone: 0xx-11-3040-1935
Risco do negócio: mínimo, na avaliação do consultor do Sebrae e da HC Lopes Consultoria, Haroldo Caser.

>> FUJIYAMA
Investimento inicial (excluído ponto comercial): R$ 40 mil (montagem da loja e equipamentos)
Taxa de Franquia: R$ 15 mil
Taxa de Royalties: R$ 500 mensais
Taxa de Publicidade: não cobra
Área: 25 a 40 metros quadrados
Funcionários: 11
Faturamento médio mensal: R$ 20 mil
Telefone: 0xx-31-3384-8363
Risco do negócio: mínimo, na avaliação do consultor do Sebrae e da HC Lopes Consultoria, Haroldo Caser.

Autor(a): Gisela Alvares

Fonte: Jornal do Comércio


Destaques da Loja Virtual
O QUE O CLIENTE QUER QUE VOCÊ SAIBA

O livro apresenta uma abordagem prática, porém, radicalmente nova para as vendas e para o desenvolvimento de novos negócios. A estratégia dessa nova a...

R$35,00