Oportunidades de Negócios

 
  Data Inclusão: 25/07/2005
Autor: Sandra Motta

Mercado de brindes aposta em eventos e fatura o ano todo

Empresas já se preparam também para Copa do Mundo e eleições em 2006 e esperam vender 10% mais

A indústria brasileira de brindes, composta em sua grande maioria por micro e pequenas empresas, já descobriu que a evolução do mercado não depende apenas de datas comemorativas ou de megaeventos como a Copa do Mundo. Apostando em profissionalização e criatividade, o setor ganha espaço fornecendo produtos personalizados para pequenas, grandes e médias companhias, sobretudo em promoções, eventos e feiras de negócios - o que já permite faturar em qualquer época do ano.

O diretor da Bríndice, empresa que organiza anualmente a feira Expo Bríndice, Luiz Roberto Salvador, diz que a Copa do Mundo de 2006 já começa a mobilizar os fabricantes do setor, mas não deverá significar um incremento nos negócios maior que 5% ou 10%.

"É um evento importante para nós, sem dúvida, e as empresas já começam a se preparar, com lançamentos e novidades. Mas temos crescido em outras frentes", explica Salvador. "Hoje o brinde atende às empresas de todo porte, desde uma farmácia de bairro, açougue ou pizzaria até as grandes companhias. Além dos produtos direcionados para a Copa do Mundo, temos toda uma gama de negócios para explorar, inclusive as eleições, também em 2006", completa.

Há 21 anos nesse mercado, Salvador estima que o setor de brindes movimentará em 2005 perto de R$ 2,2 bilhões em todo o país, contra R$ 2 bilhões no ano passado. Ainda na avaliação dele, mais de 80% das 3.500 empresas cadastradas na Bríndice são de micro ou pequeno porte e empregam mais de 20 mil pessoas. A variedade dos produtos também cresce a cada dia, com preços unitários que podem variar de R$ 0,50 - caso de chaveiros e canetas - a mais de R$ 500, como relógios ou pastas de couro personalizadas para executivos.

Criatividade

Sócio da Still Promotion, empresa de Pirituba, Zona Oeste, com seis empregados e especializada em brindes, Douglas Alves conta que tem clientes de pequeno e de grande porte, como bancos e magazines. "Depois de 13 anos nesse mercado, aprendi que a gente precisa ser criativo e flexível" destaca o empresário.

Ele diz que o preferencial da empresa é trabalhar com mais de 150 tipos de brindes, que podem ser adaptados para o gosto de cada empresa e para diferentes ocasiões. "Tenho linhas de bonés. camisetas, chaveiros, apitos, tudo isso vai vender bastante na Copa do Mundo, já nos preparamos para começar a produzir a partir de outubro deste ano", diz. "mas também aposto numa série de linhas diferenciadas, de brindes feitos em madeira, como caixas e porta-retratos, até Porta-camisinhas", completa.

Vicente Afonso, da Personal Chocolate, que fica na Mooca e tem 18 empregados, conta que já atende perto de três mil marcas, fornecendo brindes na forma de chocolates com a logomarca das companhias. "Descobrimos que não é apenas no Natal e na Páscoa que podemos vender bem. Nosso produto está diariamente em eventos Como palestras, workshops, cafés da manhã de empresas. Para a Copa do Mundo, faremos medalhas de chocolate, com fitas em verde e amarelo".

FEIRA DO SETOR TRAZ LANÇAMENTOS PARA A COPA

De terça a sexta-feira, dia 29, 107 expositores estarão apresentando as novidades em brindes em geral, com destaque para os voltados à próxima a Copa do Mundo. Os organizadores reservaram dois andares do Centro de Eventos São Luiz, em São Paulo, para acomodar as empresas e um showroom com mais de 150 tipos de brindes para a ocasião. Luiz Salvador, diretor da Bríndice, diz que quem quiser capitalizar o marketing do campeonato ao máximo, relacionando-o com o da sua empresa ou evento, deve começar a garimpar os produtos de seu interesse o quanto antes. A expectativa do organizador é receber 9 mil visitantes, principalmente empresas e profissionais das áreas de marketing, marketing político e eventos.

Entre os produtos na mostra estão de bonés e camisetas a kits para o torcedor que pretende ir à Alemanha, bandeiras, cartões tridimensionais com temas de futebol, canecas e chinelos.

No segmento de alimentos, a Balas Frutmel, com fábrica no interior de São Paulo, decidiu lançar barrinhas de cereal na forma de brinde para aproveitar o clima esportivo, e já tem clientes como Vale do Rio Doce, LG e academias. A expectativa da empresária Sandra Donatângelo é vender 25% mais em 2006.

Serviço

Expo Bríndice, de 26 a 29 de Julho; Centro de Eventos São Luiz, Rua Luís Coelho, 323, Cerqueira César, SP. Para profissionais do setor. Fone: (11) 5078-4066.

Fonte: DIÁRIO DE SÃO PAULO


Destaques da Loja Virtual
GUIA DO FRANQUEADO: LEITURA OBRIGATÓRIA PARA QUEM QUER COMPRAR ..

O Guia do Franqueado não fala superficialmente de franchising, mas analisa com profundidade como você pode ser bem-sucedido por meio deste moderno sis...

R$38,00