Oportunidades de Negócios

 
  Data Inclusão: 01/06/2005
Autor: Jornal do Commércio

Sapataria do Futuro busca franqueados

Rede tem interesse na Capital, Petrópolis, Volta Redonda e Campos

Com 11 anos de atividades, a Sapataria do Futuro ganhou espaço ao adotar um conceito moderno de reforma de calçados, bolsas e malas, utilizando equipamentos de última geração e realizando serviços rápidos. Atualmente, a rede tem uma loja própria e 186 franquias espalhadas pelo Brasil. No Estado, são 16 unidades franqueadas. Para quem quer investir no segmento, o investimento mínimo é de R$ 70 mil, dependendo da estrutura da loja.

Segundo Fernando Guimarães, sócio-diretor da Global Franchising Net, empresa responsável pelo plano de expansão da rede, a expectativa é que cerca dez lojas sejam inauguradas, até o final do ano. A idéia é preencher os bairros da Capital, onde ainda não há unidades, e investir no interior do Estado, principalmente nas cidades de Campos, Volta Redonda e Petrópolis.

- O Rio de Janeiro é um mercado forte, com potencial. A Sapataria do Futuro está em fase de maturação e está expandindo para outros países. Foi inaugurada uma loja no México e sendo consolidados negócios em Portugal - ressalta Guimarães, acrescentando que os principais diferenciais da rede são a prestação de serviços para artigos de couro, os produtos nacionais e importados para conservação dos sapatos e o preço compatível com o do mercado.

Para abrir uma franquia da sapataria, não é exigida experiência anterior, mas Guimarães destaca que o franqueado precisa ser um operador, estando sempre à frente do que acontece no dia-a-dia da loja. O investimento inicial mínimo é de R$ 70 mil, dependendo do tamanho do estabelecimento, incluindo a taxa de franquia, os equipamentos, o capital de giro, as instalações e o estoque inicial. O ponto comercial não está inserido neste valor.

Antes da instalação de qualquer loja, o franqueador faz um estudo mercadológico, observando o potencial de demanda e o tamanho ideal de estrutura. "O franqueado é auxiliado na negociação do ponto comercial. Quando firmado o contrato, é dado apoio na implantação, instruções de publicidade e treinamento gerencial e operacional. As lojas encontram-se no caminho do cliente, que contam com um serviço rápido, feito com tecnologia americana e européia", afirma o diretor da Global.

Além dos serviços de sapataria, a rede oferece um mix de serviços (costura, bordado, tintura, lavanderia e engraxataria), os quais podem ser adicionados às lojas, de acordo com a conveniência do franqueado. Neste caso, diz Guimarães, a taxa de franquia sofre acréscimo e pode variar de R$ 20 mil a R$ 25 mil.

O franqueado Valdo Reis Silva investiu em uma primeira loja, há três anos, e, hoje, é proprietário de três unidades, todas na Barra da Tijuca. "A demanda é muito boa na região. O bairro era carente deste tipo de serviço. Temos uma política de atendimento e tecnologia diferenciadas das sapatarias convencionais, o que agrada o consumidor. Investi no negócio e o retorno está dentro do esperado", afirma.

Quando optou pela franquia, Valdo não tinha idéia de como uma sapataria funcionava. "Fiz um curso de um mês, em São Paulo, oferecido pelo franqueador, no qual aprendi noções do empreendimento. O suporte é muito bom. Eles estão sempre prontos a nos atender", diz.

Empresário pode agregar valor ao ampliar serviços

Além do conserto de sapatos, bolsas e malas, Silva agregou valor às suas lojas, incluindo os serviços de costura. "Geralmente, quem traz um sapato para ser reformado, aproveita para consertar uma bainha, por exemplo, e vice-versa", ressalta.

Com um pouco mais de um ano no negócio, Marta Arruda, proprietária da franquia de Copacabana, está aprimorando sua estratégia de marketing, para atrair mais clientes. "Minha expectativa é abrir uma segunda unidade, mas primeiro vou apostar nesta loja. O retorno do investimento ainda não foi como esperado, mas sei que o negócio tem tudo para dar certo", diz ela.

A unidade franqueada por Marta tem 80 metros quadrados e seis funcionários. Logo que inaugurou, os clientes elogiaram a iniciativa e a idéia da sapataria, segundo afirma. "Foi uma boa opção. Quando optei em abrir um negócio, investi no ramo de serviços. A escolha pela Sapataria do Futuro se deu pela inovação oferecida", destaca.

Para o consultora Claúdia Pamplona, o investimento inicial, em relação ao varejo, é baixo, mas pode haver impacto no fato do cliente, muitas vezes, preferir comprar um sapato novo a consertar um velho. Segundo ela, este tipo de negócio se adequa ao público que costuma comprar produtos caros e que, assim, preferem reformá-los.

- Não há consumo abrangente, porém o risco é médio, levando-se em consideração que o investimento é considerável, mas pode ser absorvido por meio da observação dos pré-requisitos técnicos do mercado em que o negócio será instalado, o qual deverá ter características de um público de classe média alta para cima - afirma Cláudia.

Raio X

Sapataria do Futuro Negócio: conserto de sapatos, bolsas e malas
Investimento inicial: a partir de R$ 70 mil (não incluindo o ponto comercial)
Taxa de franquia: R$ 20 mil a R$ 25 mil (incluída no investimento inicial)
Taxa de royalties: 5% sobre o faturamento bruto mensal
Taxa de publicidade: 2% sobre o faturamento bruto mensal
Faturamento médio mensal: R$ 15 mil a R$ 20 mil
Margem de lucro sugerida: 25% do faturamento bruto mensal
Número de funcionários: 4 (no mínimo)
Risco: médio, "porque o investimento é considerável, mas pode ser absorvido por meio da observação dos pré-requisitos técnicos do mercado em que o negócio será instalado", afirma Cláudia Pamplona.

Serviço
Sapataria do futuro, 0xx-11-3749-3305 www.goldenservices.com.br


Destaques da Loja Virtual
LOJA DE PRODUTOS NATURAIS

Este perfil tem como finalidade apresentar informações básicas a respeito da abertura de uma Loja de Produtos Naturais. Serão abordados assuntos relac...

De R$8,00
Por R$6,00
Desconto de R$2,00 (25%)

Fonte: Jornal do Commércio

Imprima esta oportunidade RSS