Carrinho
Seus carrinho está vazio!
;) Escolher produtos
Agronegócio
    Relatório de Inteligência
  • Agronegócio
  • 12 de ago. 11

Varroatose: origem, epidemiologia, níveis de infestação e controle nas colméias

A Varroatose é uma doença parasitária que ataca todos os indivíduos da colméia

A Varroatose é uma doença parasitária que ataca todos os indivíduos da colméia, tanto operárias como zangões, nas fases de larvas, pré-pupas, pupas e adultos.

É uma doença grave causada pelo desenvolvimento e pela multiplicação do ácaro ectoparasita Varroa destructor, descoberto na abelha Apis ceranaem 1904 na Indonésia. Acredita-se que o primeiro contato desta doença com as abelhas melíferas ocorreu nas Filipinas no início da década de 60 do século passado, com a importação de abelhas européias.Recentes estudos de análise do DNA mitocondrial realizados no Brasil demonstraram a ocorrência dos haplótipos J somente no arquipélago de Fernando Noronha e dos haplótipos K em todo o estado de Santa Catarina.

Estes ácaros se reproduzem de forma rápida, em uma colméia, aproveitando a disponibilidade de alimentos, que são utilizados na forma de nutrientes, basicamente protéicos, e de açúcares, presentes na hemolinfa das abelhas, que são sugadas pelos ácaros ?como se fossem gado, sendo parasitado por carrapatos". De acordo com pesquisadores, esse ácaro é mais agressivo do que seu parente, que antes parasitava as colméias no Brasil. Sua taxa de reprodução é maior, o que causa um maior índice de parasitismo. O uso do ácido oxálico sobre os quadros do ninho traz bom resultados, permitindo uma diminuição rápida dos níveis de infestação nas colmeias.

Para ler mais informações sobre o tema, leia o relatório na íntegra.

Você precisa acessar sua conta para aproveitar as soluções do Sebrae! Cadastre-se ou acesse uma conta!

Outros produtos relevantes

+ Saiba mais
Gratuito
+ Saiba mais
Gratuito
+ Saiba mais
Gratuito
+ Saiba mais
Gratuito
+ Saiba mais
Gratuito
+ Saiba mais
Gratuito
+ Saiba mais
Gratuito
+ Saiba mais
Gratuito
+ Saiba mais
Gratuito
Deseja deixar um comentário, ou perguntar algo para o Sebrae? Você precisa estar logado para comentar ou perguntar! Cadastre-se ou acesse uma conta!